Homem queima caminhonete do patrão em fazenda

Homem queima caminhonete do patrão em fazenda

PARTILHAR
Funcionário foi suspeito de atear fogo na caminhonete do patrão e tentar agredi-lo em Nobres — Foto: Polícia Militar de Mato Grosso/Divulgação

Homem é preso acusado de colocar fogo em caminhonete do patrão em Mato Grosso, dentro de uma propriedade rural. Acusado estava embriagado quando foi preso.

O patrão foi até a polícia e relatou que o funcionário havia ateado fogo no veículo dele. A vítima tinha saído do sítio e, ao retornar, encontrou a caminhonete incendiada.

Um homem, de 55 anos, foi preso pela Polícia Civil acusado de colocar fogo em um Ford F-1000 do próprio patrão, em uma propriedade rural, localizada no Distrito Bom Jardim, em Nobres (123 quilômetros de Cuiabá), ontem. A caminhonete ficou completamente destruída.

Funcionário foi suspeito de atear fogo na caminhonete do patrão e tentar agredi-lo em Nobres

Um investigador confirmou, que o acusado não soube explicar o motivo da ação criminosa no momento da prisão. Ele estava bastante alterado por ter ingerido bebida alcoólica, chegou na propriedade e colocou fogo na caminhonete”.

O funcionário trabalha há quatro meses na propriedade e frequentemente ingeria bebida alcoólica, de acordo com a vítima. Ele também teria feito ameaças e tentado agredir o patrão dele.

O acusado foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil e o delegado chegou a estipular fiança, mas como ele não tinha dinheiro para pagar foi levado para cadeia e ficará à disposição da justiça.

Insegurança no campo faz produtores criarem rede para combater o crime

Sindicato Rural criou um disque denúncia para que os produtores possam dar informação sobre ladrões em áreas rurais; recompensa pode chegar a R$ 5 mil!

Os produtores rurais do município de Sorriso, a 420 km de Cuiabá, criaram um programa de recompensa por quem fizer denúncias que ajudem a identificar e prender assaltantes que cometem furtos em fazendas e propriedades rurais na região. A recompensa chega até R$ 5 mil.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso, de janeiro até setembro deste ano foram registrados 243 casos de roubo e furto em propriedades rurais do estado, contra 243 casos no mesmo período do ano passado. A alta, portanto, foi de 7,5%.

Para casos de roubo e furto de defensivos agrícolas no estado, o incremento é ainda maior: os furtos do insumo cresceram 86%, saindo de de 29 para 54 casos, e os roubos quase quadruplicaram, indo de 11 para 43 casos.

O movimento foi idealizado pelo Sindicato Rural de Sorriso. A entidade vai remunerar pessoas que fizerem denúncias que terminarem na prisão de suspeitos e na recuperação de produtos roubados de fazendas.

As denúncias já começaram a ser feitas e são encaminhadas à Polícia Civil e Militar.

Segundo o sindicato, o programa de recompensas sigilo total vai pagar até R$ 5 mil reais para quem fizer denúncias que levarem a prisão.

A recompensa também vale para recuperação de produtos e objetos furtados ou roubados, assim como auxiliar na apuração de crimes registrados em propriedades rurais, principalmente os relacionados aos furtos e roubos de defensivos agrícolas, instalação de pivôs de irrigação, entre outros.

O presidente do sindicato, Tiago Stefanello, disse que a iniciativa surgiu por demanda de produtores vítimas de assaltos e furtos.

“Comprovando e fazendo a prisão, faremos o pagamento. No entanto, não é qualquer tipo de denúncia. Nosso foco é os crimes rurais como roubo na parte de irrigação, transformadores, cabos, agrotóxico, veículos e outros”, disse Stepfanello..

Os dados do denunciante são mantidos em sigilo. As denúncias podem ser feitas 24 horas pelo telefone (66) 99963-7761.

Depois da denúncia, a informação será enviada para investigação policial. Sendo assim, segundo o sindicato, não basta tentar burlar uma falsa denúncia para ganho do dinheiro, uma vez que a recompensa só será paga mediante confirmação dos fatos e êxito nas ações policiais.

“O povo é movido a dinheiro. Nada mais [certo] que incentivar e motivar as pessoas a denunciar esses meliantes, tendo em vista que são pessoas que andam na sociedade. Essa pessoa [que denunciar], vai ter direito a esse dinheiro e com certeza R$ 5 mil ajuda qualquer pessoa”, finalizou o presidente do sindicato.

polícia civil

Casos de roubos

O produtor rural Fábio Valdameri conta que durante o primeiro ano como irrigante teve um prejuízo de R$ 15 mil com roubo de cabos.

“Logo na primeira  montagem já tivemos a primeira visita, aí ficamos um ano sem ter problemas. Mas esse ano já tivemos duas visitas. Eu comecei a instalar um pivô novo e não cheguei nem a ver os cabos, eu não tinha sequer instalado e já tinham me roubado”, relata.

Um outro agricultor que não quis se identificar afirma que no primeiro ataque a sua propriedade, os criminosos levaram os defensivos agrícolas. Em um segundo caso,  além dos defensivos, foi levado o motor de um barco.

Armados, os bandidos fugiram levando um dos filhos do agricultor como refém. Ele foi amarrado e trancado no porta-malas de um dos carros da família e só foi liberado horas depois na cidade vizinha.

“É uma sensação que nunca mais a gente vai esquecer, não esquece nunca. Eu nunca mais tive segurança, qualquer barulho que você escuta você já acorda preocupado. Nós não temos mais aquela paz, aquele sossego. Quando começa a escurecer a gente já fica preocupado, qualquer coisinha que acontece aqui fora nos deixa  preocupado”, desabafa.

Compre Rural com informações do Só Notícias/Cleber Romero

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com