Mais um dia de política no Brasil e boi gordo subindo!

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Anulação de condenação traz receio ao mercado, puxa dólar e abre espaço para valorização do boi gordo na B3. Confira abaixo a análise da Agrifatto!

No mercado interno, o ritmo das negociações segue lento. A baixa liquidez continua persistente, e o clima que paira no ar é o de insegurança. O preço da carcaça casada bovina passou por valorização de R$ 0,10, encerrando a terça-feira cotada a R$ 18,60/kg. Os preços são sustentados devido à baixa oferta do produto. A tendência é de que as cotações permaneçam estáveis, com uma leve pressão positiva.

Ecoando a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, em anular as condenações do ex-presidente Lula, o mercado financeiro nacional encerrou o dia no âmbito das incertezas.

A cotação do dólar superou os R$ 5,80, o que deu sustentação para a maioria dos preços de commodities em todo o país, inclusive no mercado futuro de boi gordo. A arroba do boi gordo terminou cotada no preço recorde de R$ 308,75/@ para o vencimento março/21, valorizando 0,39%.

Milho

O indicador CEPEA do milho em Campinas/SP registrou nova alta e bateu o valor de R$ 89,88/sc com valorização diária de 0,28%. Na B3, o pregão encerrou com leves recuos no mercado futuro após realização dos lucros e ligeira valorização no físico. O contrato para maio/21 registrou desvalorização diária de 0,19%, ficando cotado a R$ 94,42/sc.

Na bolsa de Chicago o cereal também registrou movimentos mistos diante do relatório do USDA que aumentou os estoques mundiais de milho para 287,7 milhões de toneladas, enquanto mercado aguardava uma redução. O contrato com vencimento para maio/21 fechou o dia a US$ 5,62/bu, queda diária de 0,23%, enquanto o contrato para setembro/21 obteve alta de 0,50%, estabelecendo-se em US$ 5,03/bu.

Soja

No mercado interno, o indicador da soja em Paranaguá/PR reflete a situação da disponibilidade de soja nos portos e o avanço do dólar sobre o real, atingindo o recorde de R$ 179,30/sc. A moeda norte-americana chegou a encostar nos R$ 5,89, mas acabou fechando o dia a R$ 5,80, com leve alta de 0,27% no comparativo diário.

As cotações da oleaginosa na CBOT seguiram o movimento de alta e encerraram o dia com valorizações em movimento inverso ao relatório do USDA que trouxe aumento da oferta e dos estoques de soja. O contrato com vencimento em maio/21 registrou alta diária de 0,44% e encerrou o dia cotado a US$ 14,40/bu.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com