Mato Grosso abate mais novilhas por causa da China

Mato Grosso abate mais novilhas por causa da China

PARTILHAR
novilhas-prenhez-com-iatf
Foto: Fazenda Santa Nice - Nelore PO

Em abril, o aumento foi de 3% nas matanças, a única categoria a mostrar crescimento sobre março. Em maio o Brasil já teve um aumento das exportações!

Ao fazer uma análise mais profunda sobre o comportamento recente dos abates no Mato Grosso, a equipe de pesquisadores do Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária) identificou um avanço no número de fêmeas jovens enviadas ao gancho em abril, na comparação com março.

Esse aumento, segundo os analistas, tem ligação com o avanço de demanda por carne bovina por parte de importadores da China, que têm demonstrando grande interesse pela compra de cortes bovinos oriundos de animais mais jovens.

Segundo o Imea, em relação aos abates registrados em abril no Mato Grosso, a categoria de fêmeas jovens, entre 12 e 24 meses, foi a única que apresentou acréscimo mensal (na comparação com março) – houve um crescimento no volume abatido de novilhas de 3,61%, totalizando 36,19 mil cabeças.

No total, foram abatidas 342,85 mil cabeças em abril no Mato Grosso, quantidade 10% inferior ao volume de março de 2020. Destas, 53,6% foram machos e 46,4%, fêmeas, contabilizando o total de 183,76 mil e 159,09 mil cabeças, respectivamente. Este resultado mais fraco em abril já era esperado, devido ao fechamento de algumas plantas frigoríficos matogrossenses diante da pandemia da Covid-19, afirma o Imea.

Fonte: Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com