Milho segue acima de R$ 100/sc e acende sinal vermelho

Milho segue acima de R$ 100/sc e acende sinal vermelho

PARTILHAR
Foto: Fotografias Cardoso

Preços do cereal no Brasil e exterior se sustentam pelo risco de oferta do produto; Cenário incerto para o milho limita correções na B3; Confira agora!

Nesta terça-feira, 6, o contrato para maio ultrapassou os R$ 100 por saca pela primeira vez. E nesta quarta-feira, 7, a previsão se confirmou pelo quinto dia consecutivo.

De acordo com o gerente de consultoria agro do Itaú BBA, Guilherme Belotti, há uma conjugação de fatores para explicar a alta no preço da saca. “No cenário internacional, a safra 2021/2022 dos Estados Unidos terá uma oferta menor, e na Argentina, por causa do clima seco, a lavoura está comprometida, o que indica um balanço global apertado”, afirma.

No Brasil, também há a preocupação com a baixa disponibilidade. “Avançando a safra verão, o produtor tem segurado o produto no mercado esperando um preço melhor”, relata.

Em relação à demanda, as perspectivas são otimistas, garante Bellotti. “Quando olhamos a demanda, o cenário é positivo, principalmente do lado internacional. Apesar de problemas com a peste suína africana, observamos uma recomposição do rebanho da China, o que influencia positivamente as exportações brasileiras”, completa.

Segundo a Agrifatto

Em movimento de alta regido pelo cenário do mercado interno, o cereal se aproxima de R$95,00/sc em Campinas/SP. Em sessão de realização de lucros após 4 dias consecutivos de altas, as cotações futuras do milho encerraram o pregão desvalorizando com o contrato maio/21 recuando 0,85% e fechando em R$98,94/sc.

Em Chicago o movimento das cotações também foi positivo impulsionado pela indefinição de oferta frente à demanda crescente pelo cereal. O contrato maio/21 fechou em US$5,62/bu, valorização diária de 1%.

Silagem de milho em propriedade na região de Fronteira Oeste
Silagem de milho em propriedade na região de Fronteira Oeste – Foto: Embrapa

Nos ajude com uma pesquisa?

Estamos fazendo uma pesquisa sobre a adoção de um novo tipo de tecnologia, um milho com alta amilase, ou seja, com maior energia disponível que pode proporcionar um salto de qualidade nas estratégias alimentar da pecuária de corte.

📍Link da pesquisa:
https://pt.surveymonkey.com/r/comprerural

Compre Rural com informações do Canal Rural e Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com