Mitos sobre servir água em bebedouros de pneus

Mitos sobre servir água em bebedouros de pneus

PARTILHAR
bebedouro gigante
Foto: Divulgação

Questionamento sobre se a água servida nos bebedouros de pneus é segura para o gado beber foram apresentadas em programa do Canal Rural na TV

O Giro do Boi do Canal Rural, conversou com o médico veterinário Fernando Loureiro acerca dos mitos sobre servir água de qualidade para o gado em bebedouros fabricados à partir de pneus. A grande dúvida é se o material pode oferecer algum risco aos animais por contaminação de algum material tóxico ou liberação de qualquer substância química.

O veterinário alertou para as doenças que o líquido contaminado de uma aguada, ou açude, por exemplo, podem causar ao rebanho. “Isso é fonte de todas as ‘oses’: eimeriose, salmonelose, coccidiose. Tudo isso se traduz em perda de desempenho, diarreia nos animais, principalmente nos bezerros em fase de cria, o que é um problema grave no Brasil”, advertiu Loureiro, acrescentando ainda a leptospirose a esta lista de riscos à sanidade do rebanho.

Bebedouros de pneus

“Em todos estes bebedouros, a parede é bastante segura e não libera nenhum elemento mineral ou algum produto que possa vir a ser tóxico aos animais. A composição dos pneus vai de 70% a 75% de borracha, essa borracha natural, extraída do látex de seringueiras, e também a borracha sintética, que é feita a partir de derivados de petróleo, de óleos, mas sem oferecer nenhum risco para os animais, é 100% seguro. Na composição do pneu também entra o aço, os filamentos, a fibras de aço, e a própria fibra de nylon e estes elementos não vão ser danosos aos animais, não oferecem nenhum risco. Na composição do pneu, em geral na fabricação dele, não tem nenhum agente que seja tóxico aos animais, não tem uso de minerais pesados. […] Então pode ficar tranquilo, é 100% seguro”, – garantiu Fernando.

De acordo com Loureiro, o fator preponderante para assegurar a qualidade da água fornecida é a manutenção do bebedouro, seja ele feito de qualquer material. “Você deve cuidar também dos bebedouros feito com tijolo e cimento, com concreto, com latão, que enferruja, então (o importante) é a manutenção usual deles porque a água deve estar sendo sempre servida limpa e, para isso, o bebedouro e o reservatório central de água devem estar sendo lavados, esfregados, o excesso de lodo tirado, o excesso de sujeira. E a manutenção vai poder determinar, no caso, se há necessidade de (uso de) algum produto, alguma proteção, alguma condição neste sentido”, informou.

Água limpa aumenta ganho de peso diário

O veterinário citou estudos que comprovam a influência do consumo de água limpa no ganho de peso de bovinos. O primeiro destes experimentos encontrados por Fernando foi feito por uma universidade em Alberta, no Canadá, e comparou o desempenho de três categorias animais (vacas paridas, bezerros desmamados e garrotes de dois anos), comprovando que o ganho de peso diário nos bovinos que bebiam água em um bebedouro era em média 225 gramas superior ao dos indivíduos que consumiam a mesma água, mas no açude.

O veterinário salientou os benefícios de instalar um bebedouro mais próximo de onde estão os lotes. “Vai trazer um grande benefício colocar bebedouro mais próximo dos animais. Eles caminham menos, eleva o desempenho. Não esqueça nunca que boi que bebe mais, come mais. E o boi que não bebe, não come, então não tem desempenho”, resumiu.

Adaptado do Giro do Boi

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.