Moagem de cana no Centro-Sul atinge 516,79 milhões de toneladas

PARTILHAR
Foto Divulgação

A qualidade da matéria-prima colhida na primeira quinzena de novembro, mensurada em kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar processada, avançou 2,54%.

A moagem de cana-de-açúcar na primeira quinzena de novembro na região Centro-Sul totalizou 26,34 milhões de toneladas, registrando aumento de 109,32% em relação à quantidade registrada em igual período do ano passado, quando foram processadas 12,58 milhões de toneladas. No acumulado da safra, entretanto, a moagem atingiu 516,79 milhões de toneladas neste ano, ante 517,31 milhões de toneladas registradas no mesmo período de 2021 – um atraso de 0,10%.  

Na última quinzena, a moagem na safra 2022/2023 avançou e reduziu a defasagem existente em relação ao ciclo 2021/2022. Apesar dessa condição, ainda não é possível estimar a quantidade total de matéria-prima que será processada até o final do ciclo atual. Esse elemento dependerá essencialmente no regime de chuvas dos próximos meses. 

Até o dia 16 de novembro, 140 unidades estavam em operação no Centro-Sul frente às 65 empresas na safra 2021/2022. Na primeira quinzena de novembro, 66 unidades produtoras encerraram a moagem de cana-de-açúcar do atual ciclo. No acumulado, o encerramento de safra atinge 118 unidades. Para a segunda quinzena de novembro está previsto o encerramento de mais 64 unidades produtoras.

Informações preliminares do Centro de Tecnologia Canavieira para uma amostra comum de 139 unidades produtoras indicam que foram colhidas 66,9 toneladas por hectare em outubro de 2022, o que representa um aumento de 22% no rendimento agrícola da lavoura na comparação com o mesmo período na safra 2021/2022 (54,9 toneladas por hectare). No período de abril a outubro, o indicador marca 73,6 toneladas por hectare (+8,5%).

A qualidade da matéria-prima colhida na primeira quinzena de novembro, mensurada em kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar processada, avançou 2,54% na comparação com o mesmo período do último ciclo agrícola, registrando 137,10 kg de ATR por tonelada colhida. No acumulado da safra, ainda se observa uma queda de 1,35%, com o indicador marcando 141,13 kg de ATR por tonelada.

Produção de açúcar e etanol

A produção de açúcar na primeira metade de novembro totalizou 1,67 milhão de toneladas (+162,19%). No acumulado desde o início da safra 2022/2023, a fabricação do adoçante totaliza 31,97 milhões de toneladas, frente às 31,87 milhões de toneladas do ciclo anterior (+0,29%).

Na primeira quinzena de novembro, 1,27 bilhão de litros (+72,01%) de etanol foram fabricados. Do volume total produzido, o hidratado alcançou 603,8 milhões de litros (+70,62%), enquanto a produção de etanol anidro totalizou 671,2 milhões de litros (+73,29%). No acumulado do atual ciclo agrícola, a fabricação do biocombustível totalizou 25,73 bilhões de litros (-0,54%), dos quais 14,98 bilhões consistem em etanol hidratado (-3,17%) e 10,75 bilhões em anidro (+3,38%).

Do total de etanol fabricado na quinzena, cerca de 14,8% ocorreram a partir do milho, que registrou produção de 188,79 milhões de litros, frente aos 150,66 milhões de litros no mesmo período do ciclo 2021/2022 – avanço de 25,31%. No acumulado desde o início da safra, a produção de etanol de milho atingiu 2,66 bilhões de litros – avanço de 26,39% na comparação com igual período do ano passado. 

Vendas de etanol

Seguindo a trajetória positiva observada em outubro, a primeira metade de novembro foi marcada pela saída mais intensa de etanol das usinas. No período em questão, as unidades produtoras do Centro-Sul comercializaram 1,14 bilhão de litros de etanol, o que representa um aumento de 18,17% em relação ao mesmo período da safra 2021/2022.

No mercado interno, o volume de etanol hidratado comercializado foi de 637,66 milhões de litros, o que significa um aumento de 22,73% em relação ao mesmo período da safra anterior. As vendas domésticas de etanol anidro totalizaram 468,75 milhões de litros, registrando crescimento de 16,52%. No acumulado da safra, foram comercializados 10,22 bilhões de litros de hidratado domesticamente (-2,52%) e 6,78 bilhões de litros de etanol anidro (+6,02%).

As vendas totais para o mercado externo seguiram em direção oposta, com 33,74 milhões de litros (-21,48%) comercializados nos quinze dias iniciais de novembro. O volume de etanol hidratado exportado na quinzena atingiu apenas 3,19 milhões de litros (-89,66%). Já as vendas quinzenais de etanol anidro, registraram 30,55 milhões de litros (+151,71%). No acumulado da safra, volume de etanol exportado totalizou 1,54 bilhão de litros até o final da primeira quinzena de novembro – um avanço de 48,69% em relação à safra 2021/2022.

Desde o início da safra 2022/2023, as unidades produtoras comercializaram 18,54 bilhões de litros de etanol, o que representa um avanço de 3,49% em relação ao mesmo período da safra anterior. Desse volume, as vendas de etanol hidratado totalizaram 10,79 bilhões de litros (-3,13%); já as de anidro, 7,75 bilhões de litros (+14,39%).

Mercado de CBios

Dados da B3 registrados até o dia 22 de novembro indicam a emissão de 27,89 milhões de CBios em 2022. Até a data supracitada, a parte obrigada do programa RenovaBio havia adquirido cerca de 31,2 milhões de créditos de descarbonização[1].  Esse volume representa 85% da meta de aquisição total para o ano corrente.

Fonte: UNICA

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). 🚜🌱

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com