Navio de grãos liberado é rejeitado por atraso

PARTILHAR

Após o acordo entre Rússia e Ucrânia o 1º navio saiu da Ucrânia e chegou em Istambul, na Turquia, no sábado (6) para ser inspecionado

A primeira carga de grãos de milho que saiu da Ucrânia após o acordo com a Rússia para o desbloqueio do Mar Negro foi rejeitada pelo comprador e agora aguarda um novo interessado na compra, informou a embaixada do país em Beirute nesta segunda-feira (8).

As 26 mil toneladas do produto deveriam ter sido desembarcadas neste domingo (7), mas o navio Razoni ainda continua próximo ao mar turco. Por conta do adiamento, a embarcação não pode entrar no porto de Beirute, no Líbano.

O comprador teria desistido do produto pelo atraso na entrega, de mais de cinco meses. Agora, a embaixada informou que está em busca de um novo comprador – que pode estar no Líbano ou em algum outro país da região.

O bloqueio aos portos ucranianos foi iniciado no primeiro dia da invasão da Rússia, em 24 de fevereiro, e só chegou ao fim após um acordo firmado entre Kiev e Moscou, com intermediação de Ancara e da Organização das Nações Unidas, em 22 de julho.

Desde o dia 1º de agosto, quando o Rizoma deixou o porto de Odessa, outros cinco navios deixaram o mesmo local e os portos de Chornomorsk e Pivdennyi. Inclusive nesta segunda, a embarcação Polarnet, de bandeira turca, já chegou ao porto de Derince e está descarregando sua carga.

Conforme dados de Kiev, há cerca de 20 milhões de toneladas de grãos e cereais parados nos portos ucranianos desde fevereiro aguardando o embarque.

Fonte: Uol

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com