Novilha bate R$ 310/@ com mercado aquecido, veja!

Novilha bate R$ 310/@ com mercado aquecido, veja!

PARTILHAR
Foto: Agropecuária Maragogipe

Para quem acha que é só o boi gordo que tem recorde de preço, veja a negociação da novilha a R$ 310/@; Agora rompeu o patamar recorde!

Mercado segue aquecido com a oferta restrita de animais para abate e a grande necessidade da indústria diante de um mercado externo aquecido. Os preços estão se elevando, a valorização acontece em todas as categorias e a demanda pela fêmea segue alta, já que a retenção dessa categoria é grande por conta da valorização na cria.

Foi nessa movimentação que o preço da arroba obteve uma valorização de cerca de R$ 15,00/@ na última semana, conforme anunciado aqui no portal. Diante dessa alta, os preços ofertados pela categoria das fêmeas, vaca e novilha gorda, também foram puxadas e chegaram a patamares recordes.

Segundo a Scot Consultoria, as altas nessa categoria chegaram a mais de R$ 5/dia para as novilhas. “Para as fêmeas a situação é a mesma do boi gordo. A vaca e novilha gordas estão sendo negociadas em R$8,80/kg e R$9,10/kg, preço bruto e à vista, respectivamente”, segundo a Scot Consultoria.

A retenção dessa categoria foi significativa no ano passado, após bater recorde de abate em 2019, já que o cenário de preços da cria são atrativos a grande lacuna entre a cria e o boi terminado. Sendo assim, há uma maior pressão na oferta de melhores preços por parte da indústria.

Conforme os dados informados no aplicativo da Agrobrazil, os preços da novilha romperam os R$ 310,00 em um negociação anunciada nesse final de semana.

Conforme aponta a imagem abaixo, com os detalhes da negociação, a novilha gorda teve seu preço na região de Avaré/SP, no valor de R$ 310,00/@ com pagamento à vista e abate programado para o dia 26 de janeiro. Os animais são novilhas Angus e Braford, veja abaixo.

Obs.: Se atente para o rendimento desses animais.

Como já mencionado anteriormente, lotes com alguma diferenciação, como volume maior, maior qualidade de acabamento, gordura mediana, precocidade ou proximidade das plantas frigoríficas alcançam naturalmente preços diferenciados, sobretudo pelo fato de se encaixar em algum padrão que atenda especificações para exportação da proteína bovina, destaca a IHS Markit.

Ainda segundo o app Agrobrazil, as negociações foram pautadas no valor de R$ 300,00/@. O destaque ficou para o boi a termo, que em Lins/SP, chegou ao preço de R$ 303,00/@ com abate programado para o dia 26 de fevereiro e com pagamento a prazo de 7 dias.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com