Pecuarista abandonou 433 cabeças de gado para morrer

PARTILHAR

Polícia autua pecuarista no Mato Grosso do Sul em R$ 216,5 mil por maus tratos ao deixar 433 cabeças de gado sem alimento e água e nove já estavam mortas em sua fazenda; Veja o vídeo!

Um paulista de 30 anos foi autuado pela PMA (Polícia Militar Ambiental), nesta sexta-feira (4), por maus-tratos ao deixar 433 cabeças de gado sem comida e sem água, em uma fazenda de Alcinópolis, a 313 quilômetros de Campo Grande. Nove animais já estavam mortos por passar dias sem comer.

Ainda conforme a PMA, todos os animais estavam extremamente debilitados, com partes ósseas expostas e nove animais já estavam mortos devido à desnutrição pela falta de alimentação e, alguns, até água, pois não havia caixas ou outras formas de disponibilizar água para os animais e o gado bebia acúmulos em poças de lama provenientes da enxurrada durante as chuvas. 

Os animais estavam presos em uma área com lama, sem acesso à ração ou ao mato. O proprietário é morador de Jales, em São Paulo. A pastagem estava degradada, e na maior parte do local havia apenas lama.

Policiais Militares Ambientais de Costa Rica receberam denúncias ontem (4) de possíveis maus-tratos a animais, em virtude de abandono de gado sem pastagem, em uma fazenda no município de Alcinópolis. A PMA foi ontem mesmo à tarde ao local e verificou tratar-se de uma fazenda pertencente a um homem de 30 anos, residente em Jales (SP).

A equipe verificou que a pastagem estava totalmente degradada, em grande parte apresentando somente a terra nua sem gramínea e o gado praticamente não conseguia mais retirar alimento.

Todos os animais estavam extremamente debilitados, com partes ósseas expostas e nove animais já estavam mortos devido à desnutrição pela falta de alimentação e, alguns, até água, pois não havia caixas ou outras formas de disponibilizar água para os animais e o gado bebia acúmulos em poças de lama provenientes da enxurrada durante as chuvas. Em cochos que haviam no local não havia nenhum tipo de alimento.

A Polícia Militar Ambiental manteve contato com a Agência Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO) e os técnicos relataram que no ano de 2020, a mesma propriedade teve ocorrência relativa ao gado desnutrido.

A equipe apreendeu o gado e notificou o proprietário, que não estava no local, a remover o gado imediatamente para outra propriedade ou adquirir ração para os animais, sob pena de poder responder por crime de desobediência e ser autuado novamente.

A IAGRO também foi contatada para as providências sanitárias.

O infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 216.500,00 por maus tratos aos animais. O autuado também responderá por crime ambiental de maus-tratos, com pena de três meses a um ano de detenção.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL – PMMS – (Contato – TENENTE CORONEL EDNILSON PAULINO QUEIROZ) tel. – 3357-1500.

Segundo algumas informações, essa não foi a primeira vez que o produtor foi autuado pelo crime de maus-tratos aos animais. Infelizmente, alguns pecuaristas preferem deixar os animais chegarem nesta situação do que, simplesmente, vender os animais para aqueles pecuaristas que ainda possuem condições e infraestrutura para garantir o básico em nutrição e cuidados.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com