Pecuaristas tiram dinheiro do Bradesco e fazem churrasco

PARTILHAR

Pecuaristas cancelam contas no Bradesco; Ato ocorre em razão do vídeo do banco que incentiva a redução do consumo de carne. Confira abaixo!

A repercussão negativa do vídeo do Bradesco incentivando a redução do consumo de carne continua trazendo prejuízos para o banco. Além de diversas notas de repúdio, correntistas de peso anunciaram o encerramento das contas na instituição. A proposta recentemente veiculada pelo Bradesco, propondo redução no consumo de carne, repercutiu negativamente na pecuária brasileira. 

O Sindicato Rural de Uberlândia, por exemplo, informou na quinta-feira 30 o “cancelamento imediato da conta que mantinha no Bradesco”. A instituição pede que o banco “promova uma campanha publicitária em nível nacional que incentive o consumo da carne bovina como excelente fonte de proteína, com benefícios nutricionais já comprovados”.

Com cerca de 15 mil clientes, a Estância Bahia Leilões anunciou o fim de sua movimentação bancária com o Bradesco. Com sede em Cuiabá (MT), a empresa é uma das maiores leiloeiras do país. Seu presidente, Maurício Cardoso Tonhá, classificou o vídeo como um “ato de insanidade”.

“Em respeito à pecuária brasileira e indignados com o ato de insanidade do Bradesco, que viola os nossos mais de 40 anos de relacionamento bancário, retiramos 100% de nossa movimentação financeira da instituição, disse Tonhá.

O Grupo Pecuária Brasil, formado por produtores, comerciantes, técnicos e prestadores de serviço, também anunciou o encerramento das atividades financeiras no banco. Uma nota em seu site comunica que houve desinformação na peça publicitária.

Bradesco tenta conter prejuízo

De acordo com o jornal Valor Econômico, “o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Júnior, ligou para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para salientar que a publicação foi um erro operacional”. Lazari teria dito a Cristina que a posição do banco continua sendo apoiar a pecuária nacional e que o vídeo foi ao ar em razão de uma falha no processo de aprovação de mídias.

A reportagem ainda cita o fato de que, na quarta-feira 29, o banco publicou uma mensagem de apoio em 28 veículos de circulação nacional, para fazer mais uma tentativa de retratação ao setor.

As imagens que provocaram a reação negativa mostram três influenciadoras digitais que defendem a redução do consumo de carne. O trio dá dicas de como fazer isso, entre elas, aderir à “Segunda-feira sem Carne”.

Vídeo polêmico do Bradesco que irritou pecuaristas

Muito dinheiro em jogo

Em 2021, o Bradesco ampliou em 40% a carteira de agronegócio e fechou o ano com R$ 42 bilhões. Sua meta é chegar a R$ 50 bilhões em 2022.

Pecuaristas repudiam e vão as agências fazer churrasco

O conteúdo irritou os ruralistas, despertando críticas de políticos que defendem pautas ligadas ao agronegócio, empresários do setor e entidades.

Sindicatos rurais organizaram por meio das redes sociais os churrascos, que batizaram de “Segunda com Carne”. O protesto está marcado para acontecer nas portas das agências de Ribeirão Preto (SP), Araçatuba (SP), Birigui (SP), Cuiabá (MT), Rondonópolis (MT), Araguaína (TO), Água Boa (MT), Canarana (MT), Barra do Garça (MT), Goiânia (GO) e Xinguara (PA).

Campanha contra pecuária: ‘isso tem sido muito comum’, diz Maurício Nogueira

A proposta recentemente veiculada pelo Bradesco, propondo redução no consumo de carne, repercutiu negativamente na pecuária brasileira. O jornalista do Canal do Boi, Valter Puga Júnior conversou com o analista de mercado, Maurício Nogueira sobre o assunto. A entrevista foi exibida na quarta-feira (30).

“Isso é muito comum. Tem acontecido com muita frequência nas grandes empresas, que querem trabalhar a agenda de sustentabilidade, mas não se preparam de acordo. Temos muito modismo, muitas meias verdades que têm sido divulgadas, esse pessoal vai fazer alguma campanha publicitária e não toma cuidado com a fundamentação dos argumentos que são levados. Acaba gerando um constrangimento com o setor todo”, pontuou Nogueira.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com