PF desarticula organização criminosa que atuava como banco paralelo em MT

PARTILHAR

Estão sendo cumpridos 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de Rondonópolis/MT (23), Cuiabá/MT (4), Paranavaí/PR (1) e Santana do Araguaia/PA (1)

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, 1/12, a Operação Argentarius, que tem o objetivo de desestruturar uma organização criminosa que atuava como um banco paralelo financiando atividades criminosas como tráfico de drogas, contrabando de agrotóxico, roubo e adulteração de carga de insumos agrícolas.

Estão sendo cumpridos 29 mandados de busca e apreensão nas cidades de Rondonópolis/MT (23), Cuiabá/MT (4), Paranavaí/PR (1) e Santana do Araguaia/PA (1).

As investigações mostraram que foram movimentados mais de meio bilhão de reais. Apenas entre os dois principais alvos, as movimentações superaram R$ 220 milhões. Foi constatado que os valores movimentados e os bens são incompatíveis com a renda declarada pelos envolvidos aumentando as suspeitas de que sejam produto de atividades criminosas.

Verificou-se também a existência de laranjas que emprestavam suas contas para ocultar a origem e destino dos valores. Da mesma forma, essas pessoas não possuem poder econômico para tais movimentações.

Também foi verificada a existência de várias empresas de fachada, as quais não possuíam nenhum funcionário registrado e indicavam endereços inexistentes.

O nome da operação faz referência aos Argentarius, que eram personagens do Império Romano responsáveis por bancos de depósito e operações de câmbio. Eram bancos particulares, com atuação, portanto, semelhante ao do principal alvo da Operação.

Fonte: Ministério da Justiça e Segurança Pública

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR