Picape Tarok, quer dominar o mercado, veja o vídeo!

PARTILHAR

O mercado das picapes médias, ainda não possui grandes opções, mas a VW Taork já impõe medo desde a sua apresentação; Confira os detalhes abaixo!

A categoria das picapes compactas-médias ainda está engatinhando, apesar das vendas terem crescido ao longo do último ano. Hoje, apenas dois modelos estão sendo vendidos. Mas a situação pode mudar nos próximos anos. A VW Tarok pode que, segundo as fontes, pode chegar em futuro muito próximo e, com esse lançamento, mercado deverá ficar ainda mais disputado!

Quem ficaria responsável pela fabricação deste modelo seria a planta da montadora alemã na Argentina. Revelada pela primeira vez no Brasil no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, a picape Volkswagen Tarok que depois foi para Nova York não deve demorar a chegar para acirrar ainda mais a concorrência com Fiat Toro e outras picapes do segmento, especula-se que ela seja lançada no máximo em 2024.

A cabine dupla tem um painel traseiro, uma espécie de parede divisória, que pode ser rebatido em poucos movimentos, ampliando o espaço para bagagem. Com isso, caçamba e assoalho se integram em uma única superfície plana.

De acordo com o site especializado “Auto Segredos”, a picape será mais um veículo que usará a plataforma MQB – usada em outros veículos do grupo. Além de ser bastante próxima do SUV Taos. Hoje, ele é a principal aposta da marca na categoria dos jipes médio. Mesmo não existindo informações mais concretas.

Um dos fatores que aumentaram a curiosidade foi a aparição do seu protótipo durante o Salão do Automóvel de São Paulo em 2018. No mesmo ano, esteve em Frankfurt também. O modelo pintado na cor azul foi um dos destaques do estande da marca.

O modelo tem atributos de SUV, tração nas quatro rodas e forte pegada urbana. Com isso, pode brigar com Fiat Toro, Ford Maverick, Chevrolet Montana e Renault Duster Oroch. Mas a grande jogada da picape Volkswagen é a área de carga variável.

Na gama da marca, a Tarok se posiciona abaixo da Amarok. Ela usa a mesma plataforma MQB que também serve de base para a Tiguan Allspace.

Conjunto mecânico

Este mistério aumenta quando falamos do conjunto mecânico da VW Tarok. A grande aposta da imprensa especializada para as versões movidas a diesel é o motor 2.0 TDI (quatro cilindros). Este propulsor é um dos usados pela Amarok. Pelo menos nela, ele pode gerar uma potência máxima de 180 cv e torque de 42,8 kgfm. O conjunto mecânico ainda ia contar com o tração integral 4Motion e câmbio automático de oito marchas.

Vale lembrar que o modelo exibido no último Salão do Automóvel de São Paulo estava equipado com o motor 1.4 TSi Flex. Ou seja, poderia fazer parte do portfólio de motores dela.

Tal trem de força seria quase 100% extraído da Amarok, incluindo a tração integral 4Motion, o bloqueio de diferencial e o câmbio automático de oito marchas da ZF, com as primeiras velocidades operando como reduzida.

Galeria da VW Tarok

Mercado de picapes médias – compactas irá pegar fogo

VW Tarok é apenas uma das picapes compactas-médias que poderão ser vistas em terras brasileiras. Este nicho pode crescer bastante nos próximos anos. Hoje, quem lidera este mercado é a Fiat Toro. Mas a Renault Oroch também está aí e busca um espaço no coração dos brasileiros.

Um modelo que já foi confirmado foi a Ford Maverick. Quem disse isso foi Daniel Justo, presidente da Ford América do Sul, em entrevista a Folha de São Paulo. Seu lançamento deve ser em 2022.

Já a Chevrolet Montana tem data prevista para o ano de 2023, com os últimos testes já sendo realizados ela é, atualmente, a picape mais esperada do mercado, deixando os apaixonado pela marca com bastante ansiedade para ver ela nas ruas. E você, conta pra gente, qual a melhor picape?

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.