Polícia mata 8 ladrões em fazenda, vídeo mostra ação!

PARTILHAR

De acordo com a PM, os ladrões estavam em uma fazenda e planejavam cometer os crimes na cidade de Nova Crixás, no estado de Goiás. Veja as imagens!

Oito suspeitos de planejarem assaltar caixas eletrônicos de bancos foram mortos em uma ação da PM (Polícia Militar) na cidade de Araçu (GO), a cerca de 65 km de Goiânia, na madrugada desta quarta-feira (8/12).

Segundo a PM, os suspeitos estavam em uma chácara desde segunda (6/12) e planejavam cometer os crimes na cidade de Nova Crixás. Os homens não tiveram as identidades reveladas e têm idades entre 17 a 40 anos. De acordo com o coronel Marcelo Granja, o grupo não é do estado de Goiás e reagiu com tiros à chegada da polícia. 

“Recebemos informações que esse grupo planejava assaltos em Goiás e montamos uma operação. No local, fomos recebidos a tiros pelos suspeitos e revidamos a agressão”, afirmou o coronel. Os oito suspeitos foram levados para o Pronto Socorro de Araçu e morreram no local, ainda de acordo com a PM. Até o fim da manhã desta quarta, os corpos continuavam na unidade. Nenhum policial ficou ferido.

O coronel afirmou que as investigações iniciais apontam que os suspeitos faziam parte de uma quadrilha do novo cangaço, que comete assaltos a bancos.

Segundo ele, o armamento encontrado com o grupo, explosivos e mensagens nos celulares dos suspeitos são provas de que eles cometeriam crimes em Goiás nos próximos dias. “Pelas conversas a que tivemos acesso, mais criminosos viriam para auxiliar nos assaltos”, disse Granja. 

Segundo a PM, dez armas de fogo foram apreendidas, sendo três espingardas, cinco pistolas e dois revólveres, além de rádios comunicadores e explosivos, que foram detonados na própria chácara. “A chácara é alugada geralmente para eventos. O casal que cuida do local disse que não suspeitou do grupo”, afirmou o coronel da PM. 

Segundo ele, os suspeitos de integrarem a organização criminosa tinham passagens na polícia por roubo de carga e assalto a bancos. A SSP (Secretaria de Segurança Pública) foi procurada pela reportagem por telefone e email, mas ainda não enviou um posicionamento sobre o ocorrido.

‘Com a faca e o queijo na mão’, disse suspeito em áudio

Mensagens em áudio extraídas dos celulares após a operação e anexadas à investigação conduzida pela Polícia Civil de Goiás confirmaram o plano da quadrilha. “Parceiro! Nós tá [sic] com a faca, o queijo (…) e o doce na mão”, disse um deles.

Outro recado demonstrou a disposição do grupo inclusive para entrar em confronto com as forças de segurança, caso necessário. “Correndo o risco de morrer… Vamos morrer tentando contar, tio”, falou outro suspeito.

Quem são os suspeitos mortos

  • Jefferson da Silva Diniz – Foi preso em flagrante acusado de envolvimento em roubo e extorsão em setembro de 2011 em Campinas (SP) pouco depois de completar a maioridade. Condenado a 3 anos e 6 meses de prisão por roubo e extorsão, deixou o Centro de Progressão Penitenciária de Jardinópolis em outubro de 2014, segundo a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária). Tinha 28 anos.
  • Thiago Moraes de Oliveira – Foi condenado por receptação qualificada e associação criminosa com outros três comparsas após ter sido preso em flagrante em abril de 2018, em Campinas (SP). Em abril de 2020, deixou o Centro de Progressão Penitenciário I de Bauru (SP) para cumprir pena em albergue domiciliar. Tinha 28 anos.
  • Vitor Roberto da Rocha Pires – Preso em flagrante por assalto a mão armada em 2017. Em junho de 2019, deixou o Centro de Progressão Penitenciário de Hortolândia para cumprir pena em regime aberto. Tinha 24 anos.
  • Walaf Ilson do Carmo Leite – Já foi investigado por suposta participação em caso de sequestro e cárcere privado em Campinas (SP). Tinha 22 anos.
  • Outros suspeitos mortos – Paulo Henrique Ribeiro, Yago Palomino Pinheiro e Allen Johnnes de Gois – a reportagem não localizou informações sobre passagens anteriores pela polícia. Também não há dados sobre eles no sistema prisional de São Paulo.

MORTOS EM VARGINHA

Em outubro, uma operação conjunta entre as polícias Militar e Rodoviária Federal terminou com a morte de 26 suspeitos de estarem planejando assaltos a banco na cidade de Varginha (MG). A operação foi a mais letal contra casos apontados como “novo cangaço” no país, segundo levantamento do UOL com base em informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e de entidades ligadas ao setor. 

Na operação em Varginha, nenhum policial se feriu. Segundo as investigações da polícia, o grupo planejava um roubo de R$ 65 milhões em um centro de distribuição de valores do Banco do Brasil. 

Para isso, usaria a tática também conhecida como “domínio de cidades”, que costuma ocorrer em municípios do interior, onde os criminosos com fuzis e explosivos dominam as forças de segurança, roubam as instituições financeiras e fazem moradores reféns, em uma ação marcada pela escalada da violência nos últimos meses.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com