Preço da arroba pode subir essa semana, o que esperar?

Preço da arroba pode subir essa semana, o que esperar?

PARTILHAR
boi cocho embrapa
Foto: Embrapa

O mercado interno segue em ritmo lento, e as exportações aquecidas do outro lado; Preço da arroba pode subir, mas para quem tem Boi Padrão China!

Os preços da arroba no mercado do boi seguiram com estabilidade na última semana, uma característica que deve permanecer na próxima semana com chegada do feriado, analisando o mercado interno. Do lado exportador, tivemos uma semana de bons preços e com aumento nos preços ofertados pelos frigoríficos para animais de até 30 meses e novilhas, o que deve proporcionar um viés de alta nesta semana, já que a China e Egito estão com maiores demandas.

Segundo analistas da FNP, o mercado de bovinocultura de corte brasileiro ainda conta com a força das exportações, reforçada pelo interesse cada vez maior pelo chamado “Boi-China” e pela desvalorização do real frente ao dólar, o que deixa o commodity brasileira bastante competitiva no mercado internacional.

Na praça paulista, o boi-China chegou a receber nesta semana um bônus de até R$ 15/@, valendo atualmente em torno de R$ 205/@, em comparação ao valor de balcão do animal convencional.

“A atuação dos chineses nas compras dos cortes bovinos brasileiros deu suporte à firmeza dos preços da boiada gorda em praças que cumprem com os requisitos do mercado externo, o que injetou certa liquidez no mercado físico do boi gordo”, avalia a consultoria FNP.

Além da China, os frigoríficos que contam com unidades autorizadas para exportar se mostram confiantes com as notícias recentes da habilitação de plantas para outros destinos, como o Egito.

É o caso da indústria de São Paulo, que tem demostrando maior interesse pela compra de “gado exportação”, sobretudo nos padrões demandados dos importadores chineses (animal macho até 30 meses de idade, além de novilhas). Na praça paulista, o boi-China chegou a receber nesta semana um bônus de até R$ 15/@, valendo atualmente em torno de R$ 205/@, em comparação ao valor de balcão do animal convencional.

O pecuarista deve ficar atento a pressão do mercado consumidor e a dificuldade que a indústria está tendo para repassar os valores para a ponta final da cadeia. Diante disso, unindo ao fato de que o pasto agora começa a perder qualidade, é preciso estar atento as flutuações do mercado e buscar negociações favoráveis para não quer “pego de surpresa”.

Fechamento da semana segundo o app da Agrobrazil

No app da Agrobrazil, pecuaristas começaram a informar um número maior de animais negociados, os preços seguem com uma flutuação grande, principalmente na praça de São Paulo. Destaque da semana é para o Boi China, veja os preços

No mercado interno, em Adamantina/SP, o preço é de R$ 190/@ a vista e abate para o dia 26 de abril. Em Aparecida do Taboado/MS, o valor foi de R$ 187/@ a prazo com 30 dias e abate para o dia 27 de abril. Já em Caiapônia/GO, foi de R$ 185/@ à prazo com 30 dias e abate para o dia 23 de abril.

O Boi China em Presidente Venceslau/SP, o pecuarista recebeu R$ 200 à vista e abate para o dia 24 de abril. Já em Santa Cruz do Rio Pardo/SP, ficou em R$ 203/@ à vista e abate para o dia 24 de abril. A novilha padrão China, em Rancharia/SP, o valor foi de R$ 195/@ com 30 dias para pagamento e abate para o dia 30 de abril.

A média na praça de São Paulo, segundo o app da Agrobrazil, tivemos uma queda de 5,80%, fechando o dia em R$ 194,43/@. Os preços no estado de São Paulo, teve uma variação de R$ 191/@ até R$ 200/@.

Situação atual e expectativas para o mercado do milho e do boi

Durante a terceira semana de abril o mercado do boi gordo, de maneira geral, andou com os preços de lado no mercado interno. Para os bovinos jovens, com até quatro dentes cuja carne atende às exigências do mercado chinês, o preço da arroba ficou firme. Já no mercado do milho, os preços caíram com as incertezas do lado da demanda e boas expectativas para a segunda safra até então e o viés em curto prazo é de baixa para o cereal.

Compre Rural com informações da FNP, Agrobrazil, Scot Consultoria e Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com