Preço da arroba sobe e falta boi gordo no mercado, veja!

Preço da arroba sobe e falta boi gordo no mercado, veja!

PARTILHAR
touros da raca braford
RPK Genética / Foto: Evoluê AG

Boiada segue na toada e vai ganhando R$ 1 por arroba/dia; O motivo? Falta gado pronto neste período final de safra embalada pelo bom desempenho das exportações.

Seguindo a mesma toada desde o início da semana, os preços do boi gordo registram, novamente, valorizações em algumas praças importantes na pecuária de corte, como em São Paulo. Nos balcões de negócios paulista, o animal terminado vale agora R$ 204/@, a prazo, um avanço de R$ 4/@ sobre o valor registrado na sexta-feira da semana passada, 22 de maio, de acordo com dados da Informe Economics FNP.

O principal motivo para o movimento altistas da arroba é a enorme escassez de boiada pronta neste período final de safra, marcado sobretudo pelo processo natural de deterioração das pastagens ocasionado pela chegada do frio e a falta de chuvas em grande parte das regiões pecuárias do País.

Há algumas exceções, como nas áreas pecuárias do Norte, que continuam recebem bons volumes de chuvas, mantendo os pastos ainda verdes – o que motiva a estratégia de retenção da boiada na fazenda, com o intuito de pressionar a indústria compradora a pagar preços ainda mais altos pela arroba. No Centro-Oeste também voltou a chover em algumas regiões, como em áreas do Mato Grosso, onde também foi possível segurar a boiada no campo – e, com isso, “apertar” os frigoríficos compradores.

“A boiada gorda terminada parece se esgotar, ao passo que os animais provindos do confinamento ainda não estão prontos para o abater”, destaca a FNP.

Um outro importante fator de sustentação para os preços do boi gordo é o ritmo consistente de embarques de carne bovina, principalmente para a China, o principal cliente dos frigoríficos brasileiros. “Há, nas regiões com maior representatividade das exportações, uma grande procura por animais que atendam aos requisitos internacionais e pagam-se spreads altos pela arroba destes”, observa a consultoria FNP, referindo-se sobretudo ao ágio de até R$ 15/@ oferecidos aos animais com padrão China – basicamente com idade de abate de até 30 meses.

No mercado doméstico, porém, o consumo e procura por cortes bovinos segue restrito, embora sem espaço para ajustes negativos na carne bovina. “Enquanto o preço de carnes concorrentes, principalmente a suína, tem apresentado quedas, o menor abate de boiada nos frigoríficos tem sustentado as cotações na ponta consumidora”, avalia a consultoria. No entanto, prevê a FNP, a atual sinalização de retomada das atividades em alguns centros urbanos e a entrada de salários no início de junho devem promover um certo aumento no consumo da proteína animal.

Giro pelas demais praças

No Tocantins, a umidade consistente na região mantém os pastos em boa qualidade e os pecuaristas conseguem especular valores mais altos na arroba, retendo o gado terminado nas propriedades, de acordo com a FNP.

No Mato Grosso, poucos negócios foram efetivados nesta quinta-feira. Não há grande disponibilidade de boiada gorda no mercado de MT e, ao mesmo tempo, a maior parte das indústrias do Estado ainda limita suas compras, com receio de que a inconsistência no escoamento de carne provoque excedente de oferta nas câmaras frigoríficas. “As poucas compras de boiadas realizadas neste quinta-feira foram feitas a valores maiores”, relata a FNP.

No Mato Grosso do Sul, com o registro de chuvas nas últimas semanas, os pecuaristas conseguiram represar os animais e negociar lotes a preços mais altos.

Em Minas Gerais, a baixa quantidade de lotes oferecidos no mercado deu suporte para altas nos preços do gado terminado, revela a FNP. Na Bahia, a arroba se valorizou nesta quinta-feira devido à uma atuação relativamente maior dos frigoríficos que buscavam preencher as escalas de abate.

Negócios informados no Agrobrazil

Os participantes do aplicativo da Agrobrazil informaram um menor número de negócios no dia de hoje, motivo é a falta de boi e a pressão baixista no mercado interno. Já para o destino China, o valor de até R$ 15/@ é encontrado nas negociações.

Os participantes informaram negócios na região de Jaciara/MT, com valores de R$ 180/@ com 30 dias de prazo e abate para o dia 03 de junho. Em Unaí/MG, o preço foi de R$ 192/@ com prazo de 30 dias e abate para o dia 03 de junho. Já em Paranaiguara/GO, o valor foi de R$ 181/@ à vista dias e abate para o dia 05 de junho.

Já em Itapirapuã/GO para o boi China de R$ 190,00/@, à prazo com 30 dias para pagar e com data para o abate em 05 de junho. No município de Brasilândia/SP, foi negociada a R$ 183,00/@ a prazo com 30 dias e com data para  abater em 04 de junho.

Destaque do dia para o município de Avaré/SP, com preço de R$ 205/@ a prazo com dois dias e abate para o dia 04 de junho. Lembrando que são animais com Padrão China!

Compre Rural com informações do FNP, Agrobrazil e Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.