Preço da soja volta a subir e se aproxima de R$ 190 no porto

PARTILHAR
Foto: Divulgação

No final do dia em Chicago, persistiu os temores com o clima seco na América do Sul e o impacto sobre o potencial produtivo

Os preços da soja voltaram a subir nesta quarta-feira (5) no mercado físico brasileiro, seguindo os ganhos de Chicago e do dólar. Mas a movimentação segue restrita e os agentes acompanham o clima e seu efeito sobre o potencial produtivo.

– Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos subiu de R$ 182,50 para R$ 185,00

– Região das Missões: a cotação avançou de R$ 181,50 para R$ 184,00

– Porto de Rio Grande: o preço passou de R$ 185,50 para R$ 188,00

– Cascavel (PR): o preço subiu de R$ 175,50 para R$ 178,00 a saca

– Porto de Paranaguá (PR): a saca avançou de R$ 180,50 para R$ 183,50

– Rondonópolis (MT): a saca subiu de R$ 167,00 para R$ 170,00

– Dourados (MS): a cotação avançou de R$ 167,00 para R$ 170,00

– Rio Verde (GO): a saca passou de R$ 165,00 para R$ 166,00

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira com preços em alta, em dia de muita volatilidade. Após bater na terça-feira (4) no maior patamar em cinco meses, o mercado teve uma sessão de ajustes e consolidação.

No final do dia, persistiu os temores com o clima seco na América do Sul e o impacto sobre o potencial produtivo. Cada dia sem chuva faz os produtores recalcularem os prejuízos e o tamanho da nova safra sul-americana.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou hoje a venda de 132 mil toneladas de soja em grão por parte dos exportadores privados para destinos não revelados. Na quinta (6), o órgão divulga os dados para as exportações semanais. A expectativa é de vendas entre 300 mil e 900 mil toneladas.

Os contratos da soja em grão com entrega em março fecharam com alta de 5,50 centavos de dólar por bushel ou 0,39% a US$ 13,94 3/4 por bushel. A posição maio teve cotação de US$ 14,03 por bushel, com ganho de 5,25 centavos ou 0,37%.

Nos subprodutos, a posição março do farelo fechou com baixa de US$ 1,30 ou 0,31% a US$ 413,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em março fecharam a 59,44 centavos de dólar, com alta de 1,11 centavo ou 1,9%.

Câmbio

O dólar comercial fechou em R$ 5,7100, com alta de 0,36%. Volátil durante toda a sessão, a moeda norte-americana virou após a divulgação da ata da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), que deu indícios de aceleração do tapering (remoção de estímulos) e
antecipação do aumento dos juros.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR