Prejuízo: Produtor perde mais de 1000 cabeças de gado

Prejuízo: Produtor perde mais de 1000 cabeças de gado

PARTILHAR
Vacada nelore
Foto: Divulgação

O pecuarista denunciou o furto de mais de 1 mil cabeças de gado da sua propriedade localizada no Mato Grosso do Sul, polícia investiga o caso!

O sumiço de 1.080 cabeças de gado de uma fazenda localizada na região da Reta do Pequi, na zona rural de Aquidauana, a 135 quilômetros de Campo Grande, teria ocorrido a partir do ano passado. Tais informações foram repassadas pelo pecuarista dono dos animais, em boletim de ocorrência registrado junto à Polícia Civil.

Fazendeiro de 63 anos acionou a Polícia Civil na terça-feira, para denunciar o furto (abigeato) de mais de 1 mil cabeças de gado, ocorrido em sua propriedade, localizada na região da Reta do Pequi, na zona rural de Aquidauana, a 135 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o delegado Jackson Frederico Vale, responsável pelas investigações, a vítima deu falta durante vacinação. “Uma vez por ano é feita a vacinação e a contagem. Ocorre que durante a vacinação deste ano, a contagem mostrou que mais de mil animais tinham sumido em comparação com a contagem do ano passado”, disse.

Conforme boletim de ocorrência registrado pelos advogados, a vítima disse que tomou conhecimento do sumiço dos animais ao realizar contagem durante vacinação. Ao todo, foram levadas 1.080 reses. No entanto, não há informações sobre suspeitos. O caso é investigado.

Neste sentido, em razão da grande quantidade de reses, a polícia conduz as investigações com cautela. O delegado afirma que em um primeiro momento, está sendo verificada se a contagem foi feita da forma correta, ou se pode ter havido algum equívoco. Além disso, responsáveis pela fazenda e funcionários também serão ouvidos.

Pecuarista denuncia furto de mais de 1 mil cabeças de gado; Durante vacinação antiaftosa, homem percebeu o desaparecimento comparado ao ano anterior.

A polícia acredita que, caso seja confirmado o furto, a hipótese é de que os animais foram sendo retirados pouco a pouco, sem levantar suspeita.

A vítima reside em outro estado e vem a Mato Grosso do Sul acompanhar o trabalho na fazenda poucas vezes no ano, o que pode ter facilitado a suposta ação criminosa. As investigações seguem.

Essas situações podem ser evitadas se fazendo o manejo do gado, campeando os animais em períodos mais curtos e ficando atento aos movimentos do plantel. Infelizmente, o pecuarista está cada vez mais preocupado com os roubos e violência no campo!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com