Quadrilha suspeita de roubo de gado é presa

Quadrilha suspeita de roubo de gado é presa

PARTILHAR
quadrilha de roubo de gado
Suspeitos foram presos em cumprimento de mandados (Foto: Priscilla Torres/FolhaBV)

De acordo com um dos delegados, suspeitos atuam há dez anos e crimes se repetem há bastante tempo. Veja os detalhes da operação!

Uma operação da Polícia Civil, realizada pela Delegacia de Alto Alegre e coordenada pela Delegacia Geral de Polícia, desmontou uma quadrilha que atuava no furto e roubo de gado, crime conhecido como abigeato, e que ocorria em vários municípios do Estado. Sete mandados de busca e apreensão e quatro de prisões preventivas foram cumpridos. 

Além disso, duas pessoas foram presas em flagrante. Uma delas por posse ilegal de arma de fogo e munição e outra por venda de carne imprópria para consumo. Um dos presos foi reconhecido por duas mulheres por crime de estupro, após roubos praticados em fazendas.

De acordo com informações do delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso, estão em andamento várias diligências para esclarecer furtos e roubos de gado em Roraima. Há dois meses, o delegado titular de Alto Alegre, Wesley Oliveira, iniciou investigações para esclarecer o mesmo tipo de crime naquela região.

“Eles atuam, pelo que nós sabemos, há dez anos. Desde que nós chegamos a Roraima, em 2003, já sabíamos de alguns nomes conhecidos e as ações se repetem há bastante tempo. Nos últimos três meses, eles aumentaram a prática desse crime a tal ponto que partiram para outros delitos, como estupro, violência. Além do furto do gado, eles também praticavam agressões, o que pode se configurar como roubo”, destacou o delegado geral.

O delegado Wesley Oliveira representou pela prisão temporária de quatro dos suspeitos investigados e por mandados de busca e apreensão na casa deles e em mais três locais, totalizando sete mandados de busca e apreensão.

O delegado representou por essas prisões devido a uma ação que foi feita em conjunto com as demais delegacias do interior, como do Cantá, Mucajaí, Caracaraí e Iracema. Todos os delegados das respectivas unidades policiais contribuíram com as informações e, devido às denúncias que obtiveram e pelo reconhecimento de testemunhas, evidenciaram as características dos autores dos crimes.

Com todas as informações necessárias em mãos, uma operação foi montada, no início da manhã dessa terça-feira, dia 26, para executar as prisões. Estiveram envolvidos os Departamentos da Polícia Judiciária do Interior e da Capital (DPJI/DPJC), Departamento de Operações Especiais (Dopes), DPE (Departamento de Polícia Especializada) e Denarc (Departamento de Narcóticos). Além disso, houve a integração das delegacias de Mucajaí, Cantá, Caracaraí e Iracema.

PRISÕES

Foram presos em cumprimento de mandado Harrison Nei Correa Mota, de 45 anos, apelidado de “Ney Mentira”, em Boa Vista, no bairro Santa Tereza, e Jaime Nogueira Lima, 43, apelidado de “Cobra”, no bairro Azul, município de Alto Alegre. No momento do cumprimento do mandado, os policiais apreenderam munição em sua casa. Jaime Lima foi reconhecido por duas mulheres como autor do crime de estupro praticado contra elas. Uma delas é uma menina, de 12 anos. A outra vítima tem 33 anos. Após praticar os roubos nas fazendas, foi registrado que o homem chegou a abusar sexualmente das vítimas. Ele é considerado violento.

Moisés Costa de Souza, de 35 anos, foi preso em uma chácara na zona rural de Alto Alegre; José Pena Mangabeira, conhecido como “Zé do Boi”, de 32 anos, foi preso no bairro Pricumã, em Boa Vista. Ele é investigado por crimes de estelionato e furtos mediante fraude em vários municípios e em Boa Vista. Além disso, responde a vários processos judiciais penais.

BUSCAS E APREENSÕES 

Dos sete mandados de busca e apreensão, três deles foram cumpridos em Alto Alegre e Boa Vista.

Em Boa Vista, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em um açougue no bairro Cidade Satélite, onde foi preso O.L.H. de O. No açougue, foram apreendidos 80 quilos de carne, sem registro de fornecimento e sem procedência. Ele foi autuado em flagrante pela Delegacia do Meio Ambiente (DPMA) por crime contra as relações de consumo. Essa ação contou com o apoio da Vigilância Sanitária.

O segundo mandado de busca e apreensão foi na casa de J.F. dos R., de 37 anos. No local, foram apreendidas uma espingarda calibre 20 e munições. O homem foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Foi cumprido mandado de busca e apreensão também na casa de D.M.L., porém, nada foi localizado em seu poder.

Telefones celulares e três carros foram apreendidos durante a operação e todo o material foi entregue para perícia no Instituto de Criminalística.

COLETIVA 

No fim da tarde de ontem, 26, o delegado geral Herbert de Amorim Cardoso concedeu entrevista para falar sobre o caso. Participaram da coletiva também o diretor do DPJI, Eduardo Wayner e do DPE, Renê de Almeida.

Cardoso ressaltou que as investigações vão continuar. “Agora é que vai começar realmente uma investigação mais aprofundada, em que nós vamos comprovar a organização criminosa, a participação de outros nesse delito. Nós já temos conhecimento e estamos apurando, inclusive alguns veículos usados pelo bando já foram identificados. O Serviço de Inteligência já está trabalhando nisso. Temos várias informações de veículos transportando essa carne. Os presos foram encaminhados para audiência de custódia e provavelmente serão levados para a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo [Pamc]”, explicou o delegado.

Ele disse ainda que os trabalhos de investigação abrangem todo o Estado de Roraima.

“Alguns dos crimes foram praticados com muita violência, com muita covardia, com estupros. A Polícia Civil representou pela prisão temporária e vai representar pela preventiva face o indício de organização criminosa. Muitas vítimas estão procurando a polícia para reconhecer os envolvidos que agiam em todo o Estado. Entretanto, com o desdobramento, outras pessoas serão presas”, assegurou Cardoso. 

Fonte: Folha BV

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com