Queda combinada de dólar e Chicago desvaloriza preço da soja no Brasil

PARTILHAR
Foto: Divulgação

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2022/23, com início em 1º de setembro, ficaram em 446.400 toneladas.

O mercado brasileiro de soja teve um dia travado em termos de negócios nesta quinta-feira (22). Poucos lotes foram negociados no Rio Grande do Sul, sem muita expressão. As quedas do dólar e de Chicago contribuíram para a desvalorização dos preços domésticos.

Confira as cotações da soja nas principais praças

  • Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos caiu de R$ 182,00 para R$ 181,00
  • Região das Missões: a cotação decresceu de R$ 181,00 para R$ 180,00
  • Porto de Rio Grande: o preço estabilizou R$ 189,00
  • Cascavel (PR): o preço decresceu de R$ 181,00 para R$ 180,00
  • Porto de Paranaguá (PR): a saca desvalorizou de R$ 187,50 para R$ 186,50
  • Rondonópolis (MT): a saca baixou de R$ 169,00 para R$ 167,00
  • Dourados (MS): a cotação passou de R$ 176,00 para R$ 175,00
  • Rio Verde (GO): a saca estabilizou em R$ 169,00

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mais baixos. O fraco resultado das exportações semanais norte-americanas e a aversão ao risco no financeiro determinaram as perdas. A queda foi limitada por compras técnicas, em dia volátil.

O avanço da colheita nos Estados Unidos adiciona pressão sobre as cotações. O clima favorável ao início do plantio no Brasil também contribuiu para a retração.

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2022/23, com início em 1º de setembro, ficaram em 446.400 toneladas na semana encerrada em 15 de setembro.

O Egito liderou as compras com 174,000 toneladas. Os analistas esperavam exportações entre 500 mil e 1,3 milhão de toneladas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com baixa de 4,25 centavos ou 0,29% a US$ 14,57 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 14,63 por bushel, com perda de 3,75 centavos de dólar ou 0,25%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 9,90 ou 2,25% a US$ 428,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 66,46 centavos de dólar, com ganho de 1,46 centavo ou 2,24%.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR