Retroescavadeira pega fogo em trem e queima 20 fazendas

Retroescavadeira pega fogo em trem e queima 20 fazendas

PARTILHAR

Incêndio atingiu, pelo menos, 20 fazendas em Goiás; Composição percorreu cerca de 30 km com a máquina em chamas antes de ser parada, segundo o Corpo de Bombeiros.

Uma retroescavadeira pegou fogo na tarde de ontem enquanto era transportada por um trem na região de mata entre as cidades de Pires do Rio e Ipameri, em Goiás. Segundo informações, o fogo se alastrou por cerca de 20 fazendas próximas à linha férrea e durava até a manhã de hoje.

À emissora, a concessionária VLI (Valor da Logística Integrada), que é responsável pela ferrovia onde aconteceu o incidente, afirmou que não há feridos. Ainda de acordo com a VLI, a retroescavadeira é usada na própria manutenção da ferrovia e a causa do incêndio ainda é apurada.

O Corpo de Bombeiros da região disse na manhã de hoje que o fogo é combatido por cerca de 30 oficiais com a ajuda de trabalhadores rurais da região. A corporação afirma que o incêndio provocado pela retroescavadeira tem várias frentes.

Segundo trabalhadores das fazendas atingidas, o maquinista não percebeu o fogo na retroescavadeira e por isso seguiu viagem pela ferrovia. Foram justamente os funcionários das propriedades da região que o avisaram sobre o incêndio, fazendo com que a composição parasse.

Confira o vídeo do incêndio:

Os Bombeiros acreditam que o maquinista tenha seguido por cerca de 30 quilômetros com a retroescavadeira em chamas até ser avisado do fogo.

Vídeos gravados por moradores da região mostram o rastro de fumaça, que começa no município de Pires do Rio, passando por Urutaí, até chegar em Ipameri. Um dos vídeos mostra um boi com dificuldades para caminhar no pasto após ser atingido pelo incêndio. Informações da imprensa local destacam a preocupação de zootecnistas com as áreas de pastagens atingidas pelo fogo.

De acordo com o Sindicato Rural de Ipameri, ainda não é possível calcular os prejuízos causados pelo acidente. No entanto, além das áreas de pastagens, o fogo pode ter atingido lavouras de soja, milho e sorgo da região.

O incêndio durou mais de 30 horas, tendo início na última terça-feira, 15, e foi controlado apenas na tarde de quarta-feira, 16. Em nota, a VLI, empresa responsável pela operação da ferrovia, disse que disponibilizou equipamentos para o combate às chamas e ainda está apurando as causas do incêndio.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com