Por que a pelagem de touros Nelore escurece e fica acinzentada?

Por que a pelagem de touros Nelore escurece e fica acinzentada?

PARTILHAR
touro-nelore-touraco-correndo
Foto: Wellington Valeriano Fotógrafo

O Touro Nelore, em inúmeros casos, ao crescer ele fica com uma pelagem escurecida no dianteiro e no cupim, isso é um bom sinal? Confira agora!

De Vianópolis-GO, Ribamar dos Santos perguntou de que se trata a pelagem acinzentada na parte dianteira do Nelore e também se esta é uma característica transmitida para as suas filhas. Você também já deve ter se deparado com tal situação e se perguntado, por qual motivo isso acontece. Certo?

Para atender Ribamar, o consultor e zootecnista André Locateli, gerente executivo da ACNB, a Associação dos Criadores de Nelore do Brasil, explicou um pouco sobre os motivos que fazem com que, o touro Nelore, apresente essa característica. Além disso, trouxemos pra você um resumo das principais características raciais do Nelore. Confira!

“Esta é uma característica sexual secundária dos machos. É muito comum nos animais da raça Nelore. À medida em que ele chega na puberdade, ou seja, que ele amadurece sexualmente, que está pronto para a reprodução, o animal começa o desenvolvimento de algumas características , entre elas esse escurecimento da parte dianteira, na região do pescoço, do cupim, na paleta. E é uma característica desejável nos machos porque ela pode, inclusive, indicar animais com uma maior libido, uma maior disposição ou vontade para reprodução. Então é bastante interessante em reprodutores”, esclareceu.

“O senhor nos pergunta também se essa é uma característica transmitida para as suas filhas. Isso não é transmitido. Como eu disse, é uma característica sexual secundária dos machos. Então, a não ser que seja um animal pintado, manchado, por exemplo, no caso do Nelore nós temos o Nelore Pintado, aí sim esta pelagem é transmitida para os seus descendentes, mas este escurecimento do pescoço […] não é transmitido especialmente para as suas filhas”, completou.

Principais Características Raciais

Animais Nelore apresentam estado geral sadio e vigoroso. A ossatura é leve, robusta e forte, com musculatura compacta e bem distribuída. A masculinidade e a feminilidade são acentuadas.

O temperamento é ativo e dócil.

Apresentam pelagem branca ou cinza-clara, sendo que os machos apresentam o pescoço e o cupim normalmente mais escuros. A pele é preta ou escura, solta, fina, flexível, macia e oleosa. Os pêlos são claros, curtos, densos e medulados.

A cabeça tem formato de ataúde, com a cara estreita, arcadas orbitárias não salientes e perfil ligeiramente convexo. A fronte é descarnada, apresentando uma linha média no crânio, no sentido longitudinal, uma depressão alongada (goteira).

O Chanfro é reto, largo e proporcional nos machos. Nas fêmeas, é estreito e delicado. O focinho preto e largo, com as narinas dilatadas e bem afastadas, é outra característica da raça. A boca tem abertura média e lábios firmes.

As orelhas do nelore são curtas, com boa simetria entre as bordas superior e inferior, terminando em ponta de lança, e a face interna do pavilhão deve ser voltada para a frente e apresentar movimentação.

A raça pode ser dividida em animais que apresentam chifres e mochos. Os chifres são de cor escura, firmes, curtos de forma cônica, mais grossos na base, achatados e de seção oval, de superfície rugosa e estrias longitudinais. Nascem para cima, acompanhando o perfil, bem implantados na linha da marrafa, assemelhando-se a dois paus fincados simetricamente no crânio. Com o crescimento, podem dirigir-se para fora, para trás e para cima, ou curvando-se para trás e para baixo.

Nos machos, o pescoço é musculoso e com implantação harmoniosa ao tronco. Nas fêmeas, é delicado. A barbela começa debaixo do maxilar inferior e se estende até o umbigo, sendo mais abundante e pregueada nos machos. O peito dos animais é largo e com boa cobertura muscular.

Outra característica dos zebuínos é o cupim. Ele tem papel fisiológico fundamental, servindo com reserva de energia em situações emergenciais. Nos machos, deve ser bem desenvolvido, apoiando-se sobre o cernelha, Nas fêmeas, deve ser reduzido.

A região dorso-lombar é larga e reta, levemente inclinada, tendendo para a horizontal, harmoniosamente ligada à garupa com boa cobertura muscular.

O Nelore possui ancas bem afastadas e no mesmo nível. A garupa é comprida, larga, ligeiramente inclinada, no mesmo nível e unida ao lombo, sem saliências ou depressões e com boa cobertura de gordura. Sacro não saliente, no mesmo nível das ancas.

A cauda é inserida harmoniosamente, estendendo-se até os jarretes e vassoura preta. O tórax é amplo, largo e profundo. As costelas são compridas e largas, bem arqueadas, afastadas e com espaços intercostais revestidas de músculos e sem depressão atrás das espáduas. O umbigo deve ser proporcional ao desenvolvimento do animal.

Membros anteriores e posteriores devem apresentar comprimento médio, com ossatura forte e músculos bem desenvolvidos. As coxas e pernas são largas, com boa cobertura muscular, descendo até os jarretes, com calotes bem pronunciados. As pernas devem ser bem aprumadas e afastadas. Os cascos devem ser pretos e bem conformados.

As fêmeas devem ter o úbere de volume pequeno, com o formato das tetas de maneira que facilite a aproximação dos bezerros. A vulva deve possuir conformação e desenvolvimento normais.

Os machos devem possuir a bolsa escrotal fina e bem pigmentada, com os dois testículos bem desenvolvidos. A bainha deve ser proporcional ao desenvolvimento do animal e bem direcionada. O prepúcio deve ser recolhido.

Com informações do Giro do Boi e ACNB

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com