Safra 21/22 de milho tem início promissor, mas clima segue no radar

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Aumento de área esperado no Rio Grande do Sul eleva expectativa de produção, entretanto o clima é uma das maiores preocupações para os agricultores no momento.

A região Sul do Brasil apresentou bons volumes de chuvas ao longo de setembro e um rápido avanço do plantio da 1ª safra de milho 2021/22, mas será necessário continuar acompanhando o clima no país, visto que a manutenção da umidade é essencial para garantir uma boa produção.

O alerta é da StoneX, que promoveu ajuste na estimativa de produção, motivado pelo aumento na área esperada no Rio Grande do Sul. Em comparação com o relatório de setembro, a estimativa de área plantada no estado aumentou 4,2%, passando de 801 mil hectares para 834 mil. Desse modo, a produção gaúcha cresceu na mesma intensidade, para 5,76 milhões de toneladas. A estimativa de produção total da safra de verão 2021/22 também aumentou, em 0,8%, para 30,05 milhões de toneladas.

Em relação ao balanço de oferta e demanda, a StoneX destaca a redução na estimativa de exportação da safra 2020/21, para 16 milhões, e a redução nas importações para 2,5 milhões de toneladas. Com isso, a estimativa de estoques finais para a atual temporada aumentou para 12,23 milhões de toneladas.

Para a próxima safra, não houve mudanças nas variáveis de demanda. Em meio à elevação dos estoques finais 2020/21 e da produção da safra de verão 2021/22, os estoques finais para a próxima temporada também aumentaram, para 14,96 milhões de toneladas.

2020/21

Para a safrinha 2020/21, a StoneX realizou mais uma revisão em sua estimativa de produção, porém, desta vez, levemente para cima. A produção da 2ª safra sofreu um aumento marginal de 0,2% em comparação com o relatório anterior, para 59,2 milhões de toneladas.

“A mudança é resultado das revisões realizadas nas estimativas para estados do Norte e Nordeste. Apesar da redução da produtividade no Pará e no Piauí, observou-se que as condições das lavouras no Maranhão estavam melhores do que o previsto anteriormente, resultando em um aumento na produção esperada para a região”, explica o analista de inteligência de mercado do grupo, João Pedro Lopes.

Em relação à 3ª safra de milho 2020/21, a StoneX reduziu sua estimativa de produção em 4,5%, para 1,67 milhão de toneladas. A contração é reflexo, principalmente, da menor produtividade no Sergipe. O estado é o principal produtor da 3ª safra e observou-se que a falta de chuvas no período de plantio teve um impacto maior do que o previsto anteriormente. Além disso, vale destacar o aumento na produção em Alagoas, resultado da melhora no clima e dos maiores investimentos no estado.

 Considerando as estimativas para as três safras do cereal, o número de produção total da StoneX 2020/21 ficou em 86,63 milhões de toneladas, praticamente inalterado em comparação com o último relatório (86,62 milhões de toneladas).

Fonte: Stonex

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.