Salário mínimo é alterado, e brasileiro tem prejuízo, veja!

PARTILHAR

Mudou de novo! Salário mínimo para 2022 é alterado; O reajuste não trará ganho real aos trabalhadores, uma vez que será uma atualização correspondente a inflação de 2021; confira o novo valor.

Atenção, brasileiros. Conforme informado aqui no portal, o Presidente da República, Jair Bolsonaro, revelou que o salário mínimo de 2022 será de R$ 1.212. Para confirmar o novo valor, uma MP (Medida Provisória) sairá no Diário Oficial da União (DOU). Mudou de novo! Salário mínimo para 2022 é alterado; confira o novo valor

É importante destacar que esse reajuste informado não trará ganho real aos trabalhadores, uma vez que será uma atualização correspondente a inflação de 2021. Em resumo, o aumento será de R$ 112, em comparação com o piso nacional atual, de R$ 1.100.

Durante este ano de 2022, o Governo Federal fez três projeções do novo salário mínimo, em agosto, por exemplo, a projeção era de R$ 1.169. No entanto, no dia 21 de dezembro, o texto aprovado pelo Congresso ressalta uma alta, sendo de R$ 1.212, prevendo uma inflação de 10,18%.

Segundo prevê a Constituição, o Governo Federal deve corrigir o valor do salário mínimo, ao menos, conforme a inflação acumulada no ano anterior. Para isto, é utilizado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Conforme a indicação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o novo valor do salário mínimo será divulgado de forma oficial no dia 11 de janeiro de 2022. Na live, o presidente disse: “A partir de 1° de janeiro, o novo valor do salário mínimo será de R$ 1.212”.

Devido a ampliação, o governo terá um gasto anual maior. Isso porque, além do próprio reajuste do piso, benefícios como o do INSS e outros programas de cunho federal também serão corrigidos, por considere como base o valor do salário mínimo em vigência.

O Ministério da Economia ressaltar que a cada R$ 1,00 acrescido no valor do salário mínimo, uma despesa de aproximadamente de R$ 365 milhões a mais é gerada.

Foto Divulgação.

Isto se deve ao fato das consecutivas altas na inflação. Por isso, o governo já projeta um aumento de mais de R$ 100,00 para o salário mínimo em 2022.

A inflação é medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que já atingiu a marca de 10,04%, é esse índice que serve de base para o reajuste.

O que significa que o salário mínimo em 2022 pode sair de R$ 1.100,00 para R$1.210,44 sendo o maior nos últimos anos. Antes disso, o maior reajuste do piso nacional foi de 11,6% em 2016, saindo de R$ 788 para R$ 880.

Sem ganho real

Pelo segundo ano consecutivo, o Governo Federal não vai dar aumento real para os brasileiros. Na verdade, eles apenas darão a reposição pela inflação. O que significa dizer que os trabalhadores apenas não perderão o poder de compra.

É como se o aumento do salário servisse apenas para compensar a capacidade de compra que o brasileiro tem. Na prática, ele não vai deixar de conseguir comprar o que já comprava, mas também não vai poder aumentar mais.

Essa ideia de não dar o aumento real de salário para a população começou a ganhar força justamente durante o Governo do Presidente Jair Bolsonaro. Trata-se portanto de uma escolha da sua equipe econômica.

Tramitação

Apesar de já estar valendo, a MP precisa ser validada em sessão do Congresso Nacional em um período de até 60 dias, prorrogáveis por mais 60. O primeiro prazo termina em 2 de abril, já que o ano legislativo começa a ser contado em 1º de fevereiro.

Além do salário

Além do salário mínimo, o Governo Federal também está terminando os ajustes finais para os pagamentos dos seus benefícios sociais, esses voltados justamente para quem não está conseguindo fazer renda neste momento.

De acordo com o Ministério da Cidadania, os pagamentos do Auxílio Brasil deverão seguir em 2022. Esses repasses começaram ainda em novembro e deverão seguir pelos próximos meses, com liberações mínimas de R$ 400 por pessoa.

Outro programa que deve seguir fazendo pagamentos em 2022 é o vale-gás nacional. Neste momento, esse projeto já existe para as pessoas que estão em áreas atingidas pelas fortes chuvas nos estados da Bahia e de Minas Gerais. Cerca de 5,4 milhões deverão receber a partir do próximo ano.

PIS/PASEP também vai mudar; veja

O calendário de pagamentos do abono salarial PIS/Pasep foi aprovado pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). Neste sentido, os trabalhadores já podem conferir a data que receberão o seu respectivo benefício.

Na tarde da última segunda-feira (10), o Ministério do Trabalho e Previdência e Caixa Econômica Federal (CEF) confirmaram as datas.

O Codefat aprovou o calendário de pagamentos do PIS/Pasep sugerido pelo Governo Federal. De acordo com o cronograma, os repasses devem começar no dia 8 de fevereiro.

O valor do abono será de até R$ 1.212, conforme o novo salário mínimo em vigência. No entanto, esta quantia só concedida caso o trabalhador tenha exercido atividade com carteira assinada ao longo dos 12 meses de 2020.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com