Soja: Desvalorização acompanha queda do dólar

Soja: Desvalorização acompanha queda do dólar

PARTILHAR
Foto: Claudio Neves/Porto de Paranaguá

Os preços da soja no mercado interno seguem a mesma tendência do dólar, a desvalorização. Em Rondonópolis (MT), a saca recuou de R$ 151 para R$ 144.

Com o dólar batendo a “porta” dos R$ 5,00, a soja brasileira voltou a se desvalorizar, atingindo o valor de referência nos R$ 150,00/sc. A pressão sofrida em Chicago também reverberou sobre a oleaginosa no Brasil.

Com uma queda de 7,93% ao fim da safra 20/21, o relatório do USDA sobre oferta e demanda demonstrou uma perspectiva de estoques finais nos EUA em 4,76 milhões de toneladas. Apesar da redução, o mercado aguardava uma queda de 13%, e, com isso, o preço da oleaginosa em Chicago recuou 0,41%, sendo negociada a US$ 11,59/bu.

A preocupação com os estoques a níveis extremamente baixos ainda deixa uma forte pressão sobre o preço global da soja.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu de R$ 144 para R$ 140. Na região das Missões, a cotação recuou de R$ 144 para R$ 140. No porto de Rio Grande, o preço baixou de R$ 147 para R$ 143.

Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 144 para R$ 140 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca de soja caiu de R$ 147 para R$ 145.

Em Rondonópolis (MT), a saca recuou de R$ 151 para R$ 144. Em Dourados (MS), a cotação ficou em R$ 139. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 137.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira, 10, com preços mais baixos. O mercado mudou de direção após a divulgação dos números do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que indicaram estoques americanos acima do esperado.

Os estoques finais estão estimados em 175 milhões de bushels ou 4,76 milhões de toneladas. O mercado apostava em carryover de 165 milhões ou 4,49 milhões de toneladas. No relatório anterior, os estoques estavam projetados em  190 milhões de bushels – 5,17 milhões de toneladas.

O USDA indicou esmagamento em 2,195 bilhões de bushels e exportação de 2,200 bilhões. Houve aumento na previsão de esmagamento em 15 milhões de bushels. A estimativa para exportações segue inalterada.

Os contratos da soja em grão com entrega em janeiro fecharam com baixa de 5,75 centavos de dólar por libra-peso ou 0,49% a US$ 11,52 por bushel. A posição março teve cotação de US$ 11,58 por bushel, com perda de 4,75 centavos ou 0,4%.

Nos subprodutos, a posição janeiro do farelo recuou US$ 1,90 ou 0,5% a US$ 377,20 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em janeiro fecharam a 38,06 centavos de dólar, alta de 0,20 centavo ou 0,52%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com baixa de 2,53%, sendo negociado a R$ 5,0420 para venda e a R$ 5,0400 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,0330 e a máxima de R$ 5,1330.

Com informações da Agrifatto e Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com