Soja: Dia tem preços em queda no mercado interno e Chicago

Soja: Dia tem preços em queda no mercado interno e Chicago

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Em Rio Verde (GO), a saca de soja registrou forte queda pelo segundo dia consecutivo; valor recuou de R$ 145 para R$ 136. Confira o fechamento!

Com a melhora do dólar e a leve alta dos prêmios pagos nos portos brasileiros, o preço da soja brasileira no mercado físico voltou a obter uma leve alta, obtendo como referência os R$ 152,00/sc em Paranaguá. Ainda assim, o volume de negócios continuo muito pequeno, graças a oferta escassa de oleaginosa.

Nos EUA, o contrato da soja para março/21 recuou 0,95% na terça-feira, sendo negociado à US$ 11,52/bu. A desvalorização da oleaginosa em Chicago está sendo ocasionada pela volta das chuvas na América do Sul e também pela ausência de novas compras chinesas pela soja norte-americana. O mercado da oleaginosa também está de olho no relatório de oferta e demanda que será publicado amanhã.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu R$ 148 para R$ 143. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 147 para R$ 144. No porto de Rio Grande, o preço recuou de R$ 152 para R$ 146,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço baixou de R$ 143 para R$ 142 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca de soja caiu de R$ 149 para R$ 147.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 149 para R$ 151. Em Dourados (MS), a cotação seguiu em R$ 145. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 145 para R$ 136.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira, 8, com preços mais baixos. O mercado foi pressionado pelas preocupações com a tensão comercial entre Estados Unidos e China, que poderiam afetar a demanda asiática pela oleaginosa americana.

A ausência de anúncio de vendas de soja por parte dos exportadores privados reforçou esse sentimento e ajudou a pressionar o mercado. O clima de chuvas na América do Sul, beneficiando as lavouras, e o posicionamento de carteiras frente ao relatório de dezembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) completaram o quadro baixista.

Os contratos da soja em grão com entrega em janeiro fecharam com baixa de 12,75 centavos de dólar por libra-peso ou 1,1% a US$ 11,45 por bushel. A posição março teve cotação de US$ 11,51 por bushel, com perda de 11 centavos ou 0,94%.

Nos subprodutos, a posição janeiro do farelo recuou US$ 5,40 ou 1,41% a US$ 376,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em janeiro fecharam a 37,44 centavos de dólar, baixa de 0,59 centavo ou 1,55%.

Com informações da Agrifatto e Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.