Soja: saca vai de R$ 185 para R$ 168 em Mato Grosso

Soja: saca vai de R$ 185 para R$ 168 em Mato Grosso

PARTILHAR
semente de soja
Foto: Divulgação

Por outro lado, as vendas da safra nova já tem preços mais altos, com a saca sendo negociada a R$ 150 no Rio Grande do Sul. Confira agora!

O mercado brasileiro de soja iniciou a semana travado. Os preços têm comportamento divergentes: no disponível as cotações estão cedendo, sem oferta e sem interesse. Na safra nova, as cotações sobem, batendo em R$ 150 no Porto de Rio Grande para entrega no meio do próximo ano, mas sem grandes volumes negociados.

Chicago e dólar tiveram comportamentos positivos e garantiram a alta na safra nova. No disponível, destaque para a forte queda no Mato Grosso, onde a saca baixou de R$ 185 para R$ 168 em Rondonópolis. A sustentação nos preços se restringe ao mercado goiano, com presença ainda da indústria.

Em Passo Fundo (RS), a saca de soja de 60 quilos subiu de R$ 158 para R$ 159. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 158. No porto de Rio Grande, o preço baixou de R$ 160 para R$ 159.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 163 para R$ 165 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca permaneceu em R$ 156.

Em Dourados (MS), a cotação permaneceu em R$ 160. Em Rio Verde (GO), a saca se manteve em R$ 184.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços em alta. Com a elevação de hoje, o mercado já enfileira sete sessões de ganhos. Na máxima do dia, janeiro atingiu a barreira de US$ 12 por bushel.

Os contratos da soja em grão com entrega em janeiro fecharam com alta de 10,50 centavos de dólar por libra-peso ou 0,88% a US$ 11,91 por bushel. A posição março teve cotação de US$ 11,92 por bushel, com ganho de 11,25 centavos ou 0,95%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo subiu US$ 0,20 ou 0,05% a US$ 394,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 38,55 centavos de dólar, baixa de 0,11 centavo ou 0,28%.

O cenário fundamental ainda é o ponto de sustentação. O clima seco na América do Sul traz dúvidas quanto ao tamanho da safra a ser colhida por Brasil e Argentina. E essa incerteza se soma a um quadro de aperto na oferta americana e demanda aquecida pelo produto dos Estados Unidos.

As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 2.009.976 toneladas na semana encerrada no dia 19 de novembro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Na semana anterior, as inspeções de exportação de soja haviam atingido 2.466.715 toneladas. A aposta do mercado era de um número de 2 milhões de toneladas.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com alta de 0,89%, sendo negociado a R$ 5,4360 para venda e a R$ 5,4340 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3410 e a máxima de R$ 5,4510.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.