TOP 5 dicas para aumentar a margem de lucro

TOP 5 dicas para aumentar a margem de lucro

PARTILHAR
Foto Divulgação.

A pecuária de corte é lucrativa? Qual é a melhor margem na pecuária e como aumentar essa margem? Confira as dicas do maior especialista do Brasil!

Como construir margem na pecuária de corte? Embora seja esta a preocupação principal dos pecuaristas, muitas vezes a busca acaba sendo deturpada e confundida pelo mero aumento da produção na fazenda. Grandes resultados trazem, ao pecuarista, grandes responsabilidades. Por isso, não confunda os dados e tenha sempre uma boa gestão!

“Margem nada mais é do que a distância entre a receita e a despesa. O papel de qualquer líder é aumentar a distância entre receita e despesa, que é construir margem. E isso nos preocupa demasiadamente porque houve aumento da produtividade, mas praticamente todo este aumento foi conduzido em (crescimento dos) custos”, advertiu o zootecnista Antônio Chaker.

O tema foi tratado na edição especial do Giro do Boi para o lançamento do Benchmarking 2018/19 (*), um estudo coordenado pela Inttegra, empresa de consultoria da qual Chaker é diretor e fundador. O especialista listou os cinco pontos que foram essenciais para as fazendas que participaram do levantamento estarem no rol das top 30% rentáveis.

Confira as cinco dicas para você aplicar:

1 – “Primeiro: custo fixo, que é mão de obra, administração, imposto e manutenção. R$ 20 no máximo por cabeça/mês”.

2 – “Mão de obra permanente: R$ 10 por cabeça/mês”.

3 – “Esse é o pulo do gato: gastar R$ 4 em nutrição para cada 100 gramas de ganho. Então se eu tenho 500 gramas de ganho, eu posso gastar tranquilamente R$ 20 cabeça/mês em nutrição. Se eu não tenho isso, eu vou calibrar para R$ 4 para cada 100 gramas”.

4 – “Pastagem: R$ 7 por cabeça ao mês para cada 1 UA média”.

5 – “E, no máximo, que é o resumo de tudo, o item 5, que é gastar no máximo R$ 10 por cabeça mês para cada 100 gramas de ganho total. Então se a fazenda tem um ganho global de 500 gramas eu posso gastar R$ 50 por cabeça ao mês”.

“Se eu seguir estas regras aqui, não tem erro, eu vou ser top rentável”, determinou o zootecnista e mestre em produção animal.

Para facilitar a tarefa do gestor de uma fazenda de gado de corte, Chaker indicou quanto deve representar o custo de produção para quem trabalha com cada fase do ciclo de produção: para as fazendas de cria, até 65%; no máximo 70% para as de ciclo completo; e 60% para quem faz recria-engorda.

O consultor afirmou que, passando destes valores de referência, o produtor “se expõe demasiadamente” ao risco.

Fonte: Giro do Boi

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com