Três estratégias para desmame dos bezerros

PARTILHAR
Foto: Nelore Kaka

Se não feito da forma correta, o desmame, pode não só gerar estresse para o bezerro e a vaca, como também significativo prejuízo na produção futura. Confira!  

O período do desmame do bezerro de corte muitas vezes pode ser um grande desafio para o pecuarista. Isso porque quando não feito da forma correta pode não só gerar estresse para o bezerro e a vaca, como também significativo prejuízo na produção.  

Assim, esse é um processo que pede a atenção e cuidado do produtor e para ajudá-lo com esse desafio, no artigo de hoje trouxemos 3 sugestões de estratégias para que você obtenha sucesso com o desmame do bezerro de corte, garantindo o bem-estar animal e também a lucratividade da atividade. 

Continue a leitura e confira! 

O momento do desmame do bezerro de corte 

A fase entre seis e oito meses de idade é quando, normalmente, o bezerro de corte é desmamado da vaca com o objetivo de iniciar a fase de recria e engorda do animal para uma posterior comercialização da carne. 

Uma vez que nessa idade o animal é considerado um ruminante e é capaz de utilizar a forragem sólida como a fonte de energia e nutrientes necessária para seu desenvolvimento, o desmame não prejudicará a nutrição e engorda do bezerro.  

No entanto, a principal preocupação que se deve ter com esse processo é o fato de ser um período de considerável estresse para o bezerro e para a vaca, isso porque o método mais comum nas fazendas é o desmame feito abruptamente, separando a vaca e a cria sem que haja nenhuma adaptação dos animais.  

O rompimento de laços repentino desencadeará um mal-estar no animal que pode gerar dificuldades e prejuízos para o negócio. Uma alteração no comportamento poderá ser identificada durante semanas após a separação dos animais, que passam a vocalizar insistentemente e caminhar por longos períodos à procura um do outro. 

Em função disso, reduzem o tempo de pastejo e descanso, o que levará ao menor desempenho no período subsequente da recria e redução da imunidade, tornando o bezerro mais passível de doenças. 

Assim, para evitar que você, pecuarista, passe por essa situação separamos 3 sugestões de como realizar o desmame de forma a minimizar os efeitos negativos durante o período de readaptação dos animais: 

Apartação em dois estágios 

Uma forma eficaz e indicada para realizar o desmame de bezerros de corte é dividindo o processo em duas etapas.  

Na primeira delas, o objetivo é imputar dificuldade ao ato da mamada para o animal. Para isso, é inserido um acessório em sua narina impossibilitando-o de mamar. Entretanto, o bezerro permanecerá junto à mãe, mantendo assim o vínculo entre eles.  

Na etapa seguinte, o bezerro é separado da mãe, assim como acontece no desmame tradicional. A diferença aqui é que, segundo estudos realizados, o desmame realizado em dois estágios apresenta resultados mais positivos.  

Inicialmente, os animais apresentam o mesmo comportamento daqueles que passam pelo desmame abrupto. No entanto, num segundo momento, após a separação completa, as taxas de vocalização reduzem em 85%, em relação ao método tradicional. O mesmo acontece com o tempo de caminhada que é reduzido em 80%, já a alimentação e o descanso têm um aumento de, respectivamente, 25% e 24%. 

Passados sete dias, o que se percebe é um ganho de peso mais expressivo.  

A principal dificuldade da apartação em dois estágios está na colocação e retirada do acessório, o que pode se tornar ainda mais árduo quando se trata de lotes grandes de animais. 

Desmama controlada 

A desmama controlada também é uma estratégia bastante eficaz na eliminação do estresse ou de perda de peso dos animais. A sua mecânica consiste em programar o número de vezes que o bezerro irá até a vaca mamar.  

Para isso, normalmente os animais são dispostos em piquetes com ampla oferta de pasto, água e sombra, por volta de duas vezes ao dia. Já durante a manhã e à tarde bezerros e matrizes são reunidos para que possam mamar. 

Desmama com visualização 

Essa alternativa consiste em manter vacas e bezerros lado a lado, separados apenas por uma cerca, permitindo que visualizem um ao outro.  

Foi comprovada a eficácia desse método por pesquisadores da Universidade da Califórnia-Davis a partir da constatação de que bezerros desmamados utilizando essa técnica ganharam 30% mais peso que os animais desmamados tradicionalmente durante as dez primeiras semanas pós-desmama. Além disso, os bezerros andaram menos e também vocalizaram menos. 

O ponto de atenção para essa opção é garantir que a cerca que irá separar os animais seja resistente o suficiente, para que eles não se juntem novamente. Uma prática comum entre produtores que adotam essa técnica é manter os bezerros no curral de quatro a sete dias pós-desmama, fornecendo água, ração no cocho e capim fresco à vontade. 

Agora que já explicamos o quanto o desmame impacta diretamente na produtividade da sua propriedade e apresentamos diferentes técnicas eficazes, o desmame não precisa mais ser uma preocupação para você. 

Com a estratégia certa você conseguirá garantir o bem-estar do animal e lucratividade para seu negócio! 

Fonte: Coimma

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com