Vacas leiteiras usam sutiã, você precisa ver isso!

Vacas leiteiras usam sutiã, você precisa ver isso!

PARTILHAR
Sustentador, ou sutiã para vacas, tem ajudado a evitar problemas com o úbere (Foto: Eveline Zuniga)

Em fazenda mineira, vacas leiteiras usam sutiã e evitam problemas no úbere; Técnica já é utilizada a alguns anos nos países da Europa. Confira!

O sutiã – ou soutien, para os que preferem um estrangeiro estrangeiro – é uma peça tradicional do vestuário feminino. O acessório surgiu no começo do século passado para moldar, sustentar e até esconder como mamas das mulheres da época, e foi patenteado no ano de 1914, nos Estados Unidos. O sutiã (no caso, a queima dele) já foi o símbolo do movimento da libertação feminina. Tem gente que não vive sem, enquanto outras pessoas, simplesmente não o usam.

Mas não é o caso das vacas do rebanho da Fazenda Zuniga, propriedade localizada na cidade de Serranos, região sul de Minas Gerais. Por lá, como 73 mimosas lactantes fazem rebanho usam e aprovam uma peça. 

O sutiã já faz parte das vacas lactantes da Zuniga desde o ano passado, quando Eveline Zuniga, médica veterinária e proprietária da fazenda, visitou um rebanho leiteiro na Islândia, país localizado na Europa. Lá, ela finge que os animais usavam um tipo de sustentador no úbere.

“Eu questionei o que era aquilo para a proprietária dos animais e ela me perguntou se eu não sabia para que servia um sutiã”, contou Eveline, que imediatamente foi a uma loja local comprar o acessório. “Eu não conhecia a técnica, mas na Islândia, o uso do sustentador é padrão, sobretudo em animais mais velhos ou que tenham o ligamento do úbere afrouxado”, explicou.

De acordo com a médica veterinária, o sustentador – ou sutiã para vacas – é um acessório auxiliar para animais que possuem frouxidão no ligamento do úbere ou que apresentam edemas pós-parto, problemas bastante frequentes no rebanho leiteiro. Em outros casos, pode prevenir acidentes e até prolongar a vida das vacas.

“O acessório promove o bem estar animal das vacas, principalmente os animais mais idosos”, afirmou. “Em vacas leiteiras, a pressão sem ligamento aumenta muito no início da lactação e o sustentador ainda pode auxiliar na distribuição do peso do úbere para o dorso do animal. Com o sustentador, o úbere fica protegido e os animais ficam menos propensos a sofrerem lesões acidentais nos tetos, como um pisão ”.

O acessório, segundo ela, pode ainda, prolongar a vida das mimosas que já estão para se aposentar. “Tem produtora que processa ao precisarem se desfazer de um animal que não produz mais leite. O uso do acessório pode ajudar os pequenos produtores que não querem se desfazer de um animal mais velho e quer escolher-lo como animal de estimação, ou até para animais de elite, que são matrizes doadoras, mas não mais lactantes. O sutiã traz um bem imenso, podendo aumentar a longevidade do animal ”.

(Foto: Eveline Zuniga)

Novidade no galpão

Na Fazenda Zuniga, que tem um rebanho de cerca de 190 animais, o sutiã fez o maior sucesso entre as lactantes, contou com Eveline. Assim que chegou com a novidade da Europa, experimentou a peça em uma vaca que apresentava sintomas de afrouxamento do ligamento médio do úbere e edemas provocados pela mastite.

“Ela demorou algumas horas para compreender o que estava acontecendo, mas assim que a soltamos no galpão [na fazenda, o sistema utilizado é o celeiro de compostagem], ela já se sentiu à vontade e despertou a curiosidade das companheiras de lote”. Eveline conta que o animal utilizou o sutiã por um mês e teve os sintomas de mastite reduzidos consideravelmente. “No outro dia, na ordenha, ela não tinha desconforto algum”.

A médica veterinária alerta que o sustentador não é um acessório para o tratamento da mastite, mas o seu uso na “vaca modelo” é certamente fornecido a abrandar os edemas. “Faz mais sentido concluirmos que o manejo com esta vaca melhorou com o uso do sutiã, e a mastite nesse animal diminuiu”, observou. 

“Não houve um aumento na produção [na Zuniga, como vacas em média 28 litros por animal por dia], mas acreditamos que o bem estar animal oferece, ao longo do tempo, aumento de produtividade”.

Como havia adquirido apenas uma peça na Islândia, e os resultados iniciais do uso do acessório demonstravam aumento do bem estar dos animais, Eveline deseja uma costureira local para produzir mais sutiãs. 

“Compramos materiais similares aos originais e produzimos mais dois sutiãs, que possuem em animais que apresentam uma frouxidão ligamentar e deu certo. Temos a ideia de implantar a técnica na propriedade, principalmente usar em vacas com úberes muito pesados ​​ou edemaciados no pós-parto ”, disse a criadora.

Fonte: Globo Ruraç

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com