Vídeo: Bezerro nasce com duas cabeças e causa susto

Vídeo: Bezerro nasce com duas cabeças e causa susto

PARTILHAR

O animal nasceu na segunda-feira passada e sobreviveu, o que é raro para a condição; Bezerro nasce com duas cabeças, sobrevive e surpreende moradores.

Na comunidade de Bom Sucesso, no município de Santa Cruz (RN), um bezerro nasceu com duas cabeças e chamou a atenção dos moradores da região. O nascimento do animal ocorreu na segunda-feira passada e ele sobreviveu, o que é raro para a condição.

Segundo o proprietário do bezerro, que mora na comunidade de Bom Sucesso, o animal nasceu há três dias. Ele conta que é a primeira vez que se depara com esse tipo de formação.

Um bezerro nasceu com duas cabeças em uma comunidade na zona rural do município de Santa Cruz, cerca de 100 quilômetros distante da capital Natal. O caso é considerado raro pelos médicos veterinários.

“Nunca aconteceu algo assim nessa comunidade. É um fato inédito”, disse Pedro Oliveira, que relatou ainda uma dificuldade do animal para se levantar.

O fato gerou curiosidade dos moradores do entorno. Um deles gravou um vídeo momentos após o parto, em que mostra o animal no chão e aparentemente debilitado.

Segundo o médico veterinário Raimundo Alves Barreto Junior, que também é professor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), esse tipo de formação é realmente rara.

“Esse fato que aconteceu na sua comunidade realmente é um fato muito pouco frequente. Nós chamamos tecnicamente de dicefalia, quando o animal tem a definição bem clara de duas cabeças, com dois cérebros, quatro orelhas, duas bocas, quatro olhos, tudo bem separado”, falou.

“Ou diprosopia, que é o caso que mais parece aí, que é na verdade um quadro teratogênico (quando há dano ao feto), que nasce com essa segunda cabeça de maneira incompleta”.

“E chegar à vida adulta é raro também. Nos meus 52 anos só vi um animal chegar à vida adulta”, explicou. 

Segundo o professor Barreto, esse tipo de formação compromete a vida dos animais. Ele relata, por exemplo, só ter conhecido um que conseguiu chegar à vida adulta com esse tipo de formação, ainda na década de 1990.

Registro foi feito em Santa Cruz (RN). Filhote nasceu e sobreviveu, apesar de problema de formação. Chegada à vida adulta é considerada rara:

“Em toda minha carreira, eu só vi um caso de um animal que chegou à vida adulta, ainda na década de 1990”.

O profissional disse que, como o animal não consegue se levantar, provavelmente deve ter problemas no seu desenvolvimento. “Essas tecnologias normalmente são associadas a outros defeitos, que às vezes são limitantes para a vida, como má formações cardíacas, digestivas, etc. Isso exige muitos cuidados. O fato das duas cabeças pesarem impede que ele fique em pé quando novo, e isso por si já prejudica muito”, afirmou.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com