CLASSIFICADOS
Página Inicial » Notícias » Com crescimento de 11%, soja e açúcar são destaques nas exportações pelo Porto de Santos
Curso de gestão de pastagens, planejamento e manejo da teoria à prática, aprenda o método PDCA
colheita cana de acucar

Com crescimento de 11%, soja e açúcar são destaques nas exportações pelo Porto de Santos

Embarques do complexo soja pelo terminal paulista cresceram 11,4% nos sete primeiros meses do ano, ante o mesmo período do ano passado

As exportações do complexo soja pelo Porto de Santos, no litoral de São Paulo, cresceram 11,4% nos sete primeiros meses do ano ante o mesmo período do ano passado, atingindo 17,14 milhões de toneladas.

Os embarques de açúcar ocuparam a segunda posição em carga movimentada no período, com 10,46 milhões de toneladas, crescimento de 16,4% ante os sete meses de 2015.

Considerando apenas o mês de julho, o incremento nas exportações de açúcar é de 20,1% ante julho do ano passado, com 2,128 milhões de toneladas, refletindo a safra. Já a soja, em período de entressafra, apresentou queda na movimentação, com 1,123 milhão de toneladas de grãos e farelo embarcadas em julho, queda de 35,2% ante julho de 2015.

Dados divulgados pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) mostram que a exportação de milho pelo porto santista também foi expressiva neste ano, com aumento de 39,3% nos sete meses, mas queda de 32,5% em julho. No último mês foram embarcadas por Santos 917,1 mil toneladas de milho e, no acumulado de janeiro a julho, 3,187 milhões de toneladas. Na importação, a carga mais movimentada nos sete meses foi adubo, com incremento de 38,7% no volume, de 1,59 milhão de toneladas.

Conforme a Codesp, a participação comercial das cargas movimentadas pelo porto santista de janeiro a julho atingiu 28,9% – ou cerca de US$ 53,4 bilhões –, “o maior índice em relação ao total brasileiro no período”. Foram 67,96 milhões de toneladas movimentadas nos sete meses. Considerada apenas a exportação, o volume chegou a 50,43 milhões de toneladas, aumento de 7,2% em sete meses ante 2015.

Fonte: (Estadão)

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicadoEstes campos são obrigatórios *

*

x

Checar também

Se for levado em conta o cenário do ano passado, somente 41% das propriedades rurais leiteiras do país produzirão a bebida dentro dos padrões legais determinados pelo Ministério da Agricultura, conforme aponta um estudo da Clínica do Leite/Esalq-USP. Foto: Divulgação

Preço do leite ao produtor recuou 11,7% em novembro

O preço médio do leite recebido pelo produtor recuou 11,7% em novembro, na comparação com ...

bezerrada curiosa

A hora certa de usar os vermífugos no gado

O sucesso da produção na pecuária bovina depende, entre outras coisas, de um bom manejo ...