Aprovado: 12.000 bezerros serão enviados ao Egito em navio

PARTILHAR

Carregamento com destino ao Egito deve zarpar nesta semana com quase 12 mil animais habilitados para estar a bordo; até então, vendas externas estavam zeradas.

Deve ser realizado nesta semana o primeiro embarque de bovinos vivos deste ano via porto de Rio Grande. Ontem, 27, o Serviço de Fiscalização de Insumos e Serviços Pecuários e Saúde Animal (Sisa/DDA) da superintendência federal no Estado do Ministério da Agricultura deu a autorização para a emissão das guias de trânsito animal (GTA) para o transporte de 11.987 animais.

Conforme a Estância Del Sur, empresa que realiza essa  parte da operação, serão necessárias entre 250 e 300 viagens para que todos os exemplares possam ser levados ao terminal, que fica a cerca de 120 quilômetros. Confira abaixo o vídeo de como foi o embarque recorde dos últimos envio de animais vivos pelo Porto do Rio Grande do Sul.

Depois de registrar um recorde histórico na exportação de bovinos vivos em 2018, com uma carga de 44,3 mil toneladas, e em 2020, responder por 28% de todos os bovinos vivos exportados do País, o Rio Grande do Sul prepara seu primeiro – e provavelmente único – lote de animais a ser vendido internacionalmente este ano. O destino será o Egito.

Ficou para a última semana de 2021 aquela que deve ser a primeira e a única exportação de bovinos vivos do Rio Grande do Sul no ano. Os animais considerados aptos pelo serviço oficial do Ministério da Agricultura, 11.987, iniciam na tarde desta segunda-feira (27) o translado do estabelecimento pré-embarque em que cumpriram quarentena, no município de Crista, até o porto de Rio Grande.

Está prevista para terminar antes do feriado de 31 de dezembro a primeira operação desse tipo em 2021. O mercado de exportação de gado vivo vão apresentando uma grande procura pelos animais jovens, lembrando que alguns países como o Egito e Turquia são os principais destinos desses animais. Veja o vídeo do último embarque!

Protocolo de compra e quarentena

Com peso de até 250 quilos, os terneiros provêm de diferentes propriedades gaúchas e permanecem nos EPEs até que os exportadores atinjam o número de cabeças pretendido para a carga a ser embarcada. Depois, são realizados os protocolos sanitários exigidos pelo país comprador, explica a supervisora.

A empresa responsável pela operação, a Estância Del Sur, atua na agropecuária, com ciclos de cria, recria, engorda, compra e venda, no mercado nacional e internacional. Ela é uma das mais conhecidas empresas que atuam neste ramo, sendo responsável por vários embarques ao longo dos anos.

São importadores que têm exigência maior com relação à qualidade e ao padrão (dos animais), e o Rio Grande do Sul entra no cenário como um produtor de gado europeu.

Segundo vídeo divulgado pela Ouro Fino Saúde Animal, em 2020, a fazenda se destaca pelo sistema de criação de bovinos em confinamento para preparar o gado para exportação em Pelotas, no Rio Grande do Sul.

Último embarque realizado

Os animais resultam de cruzamento de raças europeias (Angus, Hereford…), têm entre zero e 12 meses e pesam de 200 quilos a 250 quilos. O lote é oriundo de 366 propriedades gaúchas e cumpriu quarentena de pelo menos 21 dias, conforme exigência da Turquia, em dois estabelecimentos de pré-embarque (EPE’s), um em Pelotas e outro em Rio Grande.

O navio com 13.296 terneiros vivos zarpou em novembro do Porto de Rio Grande direto para a Turquia, onde seguem para engorda em 39 estabelecimentos no país.

“O Mapa vistoria o navio e libera ou não o embarque. Avalia o bem-estar na embarcação. Ao todo, trabalham cerca de 70 pessoas na operação, contando com os funcionários das propriedades”, explicou Liége na época!

Quedas Brasil afora

Apesar da grande notícia da primeira venda de gado vivo para o recém-aberto mercado do Vietnã, este ano, no frigir dos ovos, a síndrome de baixas vendas não pegou apenas o Rio Grande do Sul, mas também todos demais Estados exportadores de animais vivos.

O pecuarista gaúcho sofreu o caso mais drástico, sem qualquer operação fechada de janeiro a novembro deste ano.

No acumulado de janeiro a outubro deste ano, as cargas de bovinos vivos somaram 22,4 mil toneladas, 77,7% a menos que no mesmo período do ano passado, com 100,4 mil toneladas, segundo os dados do AgroStat, plataforma de estatísticas do comércio internacional de commodities agrícolas do Mapa.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com