Arroba a R$ 330 com disparada dos preços, confira!

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Arroba segue firme e os pecuaristas continuam firmes na pedida acima da referência para os lotes de animais precoces e com maior qualidade.

O mercado físico de boi gordo registrou preços firmes nesta quarta-feira, 04, garantindo a sustentação no movimento de alta nas cotações. As cotações dos animais terminados seguem com tendência de alta e analistas preveem recuperação da demanda interna de carne bovina nesta primeira quinzena de agosto.

Os preços se sustentam em grande parte do país, mesmo com uma posição mais confortável das escalas de abate, que atendem entre cinco e sete dias úteis em média. Do outro lado, os pecuaristas continuam firmes na pedida acima da referência para os lotes de animais precoces e com maior qualidade.

Segundo os dados divulgados pela Scot Consultoria, em São Paulo a oferta está ajustada à demanda e com isso os preços estão estáveis na comparação feita dia a dia. Já no Sul do Tocantins, o boi e novilhas gordos ficaram cotados, respectivamente, em R$300,00/@ e R$290,00/@, preços brutos e a prazo.

Bovinos destinados ao mercado externo, são negociados a até R$325,00/@, preço bruto e à vista e a depender do lote. Entretanto, em Santa Catarina, pecuaristas já informam negociações de animais para o mercado interno precificado a R$ 330,00/@.

Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado teve grande alta na média geral a R$ 320,46/@, na quarta-feira (04/08), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 298,57/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 314,66/@.

O indicador do Cepea apresentou grande valorização no fechamento de ontem, apontando para firmeza dos preços no mercado, os valores sofreram uma valorização de -1,30% e saltou de R$ 315,40/@ para o patamar de R$ 316,70@.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é photo_2021-08-04_10-19-24-1.jpg

Segundo as consultorias que acompanham diariamente o mercado pecuário, a enorme escassa oferta de animais terminados neste período de entressafra explica a manutenção da arroba em patamares bastante elevados.

Além disso, as exportações de carne bovina seguem aquecidas e os frigoríficos ainda acreditam na reação do consumo interno da proteína no curtíssimo prazo.

“Os lotes de animais gordos são oferecidos de forma esparsa e os muitos pecuaristas que confinam o gado têm demonstrado preocupação com os elevados custos com reposição e nutrição”, observa a IHS.

Mercado Futuro

Na B3, os contratos futuros do boi gordo tiveram um dia em que os avanços predominaram na comparação com as quedas. Apenas a ponta mais curta teve desvalorização. O vencimento para agosto passou de R$ 318,60 para R$ 316,95, do outubro foi de R$ 325,05 para R$ 325,85 e do novembro foi de R$ 330 para R$ 330,80 por arroba.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 317 na modalidade à prazo, ante R$ 318 a arroba na terça-feira.
  • Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 304, inalterado.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 313, ante R$ 312.
  • Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 308, estável.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 311 a arroba, estável.

Atacado

Já no mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Segundo Iglesias, o ambiente de negócios ainda sugere pela continuidade deste movimento, avaliando a boa reposição entre atacado e varejo no decorrer da primeira quinzena do mês.

“Além disso, precisa ser considerado o potencial de consumo durante o Dia dos Pais, data que costuma capitalizar boas vendas, e neste ano em específico o otimismo aumenta na comparação ao ano passado avaliando o abrandamento das medidas de distanciamento social”, disse Iglesias.

O quarto dianteiro foi precificado a R$ 16,90 por quilo, alta de dez centavos. O quarto traseiro teve preço de R$ 21 por quilo, alta de 20 centavos. Já a ponta de agulha foi precificada a R$ 17 por quilo, estável.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com