Arroba atinge R$ 330 com escalas curtas; Cadê o boi?

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Novilhas já atingem negociações de R$ 330,00/@ e indústrias e pecuaristas seguem confortáveis aos atuais patamares de preços. A oferta restrita de animais é forte!

O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis a mais altos nesta quarta-feira , 24, com grande firmeza no movimento de alta nas praças paulistas. A depender da praça avaliada, como em São Paulo, Tocantins e em Mato Grosso, os preços seguem subindo, enquanto é evidenciada boa fluidez dos negócios. Preços já atingiram os valores de R$ 325,00 para Boi Gordo e de R$ 330,00 para as novilhas!

Como resultado de uma posição não tão confortável das escalas de abate, que no momento atendem entre três e cinco dias úteis, variando de estado para estado. Sendo assim, oferta de animais terminados segue como grande elemento de sustentação dos preços no curto prazo, sem alívio na oferta até fim do primeiro trimestre de 2022.

O mercado segue em ritmo de espera, com a notícia do aceite da carne enviada à China antes de 4/9 e escalas de abate pressionados. Além disso, temos o cenário de uma grande novidade com o retorno da Rússia as compras e habilitação de novas plantas, o que trouxe grande animo ao mercado!

Segundo o app da Agrobrazil, os preços na praça paulista estão variando de 312,00/@ a R$ 330,00/@. A melhor negociação, informada nesta quarta-feira, ficou para Pompéu/MG, com preço pago de R$ 325,00/@ na boiada gorda, com pagamento no prazo de 15 dias e abate no dia 01 de dezembro.

Muitas são as negociações a R$ 320,00/@, deixando o preço como referência para o estado! Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 316,08/@, na quarta-feira (24/11), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 308,96/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 307,03@. E em Mato Grosso, a média fechou cotada a R$ 302,84/@.

O Indicador do Boi Gordo/CEPEA, teve uma estabilidade de preços e arroba ficou cotada a R$ 316,65/@ nesta quarta-feira, acumulando uma valorização de quase 23,16% no mês de novembro. Só no mês de novembro a alta já ultrapassa os R$ 55,00/@, apoiado na baixa oferta de boiada gorda. Veja o gráfico!

Segundo a Scot Consultoria, s preços estão estáveis na comparação feita dia a dia. O boi, vaca e novilha gordas estão apregoados em R$315,00/@, R$290,00/@ e R$302,00/@, preços brutos e a prazo, na mesma ordem.

Segundo o app da Agrobrazil, o pecuarista de Vitória Brasil, na praça paulista, negociou lote de novilhas com preço pago de R$ 330,00/@ com pagamento no prazo de 30 dias e abate no dia 27 de novembro. Veja a imagem abaixo com o nome do frigorífico!

Na B3, o contrato futuro de boi gordo com vencimento para nov/21, encerrou dia cotado em R$ 317,40/@, sem alterações significativas no comparativo diário.

As referências para arroba estão próximas de R$ 315,00/@ a R$ 320,00/@ no estado de São Paulo. Lembremos que, sazonalmente temos uma alta dos preços da arroba no começo do mês com o aumento do consumo da carne no varejo, ainda mais no mês de dezembro que a demanda é ainda maior. Isso em tese tem potencial para melhores valores para arroba. Entretanto, é preciso ficar atendo a queda que, historicamente, acontece no decorrer de dezembro.

Com relação a demanda chinesa, destacamos que a China precisa da carne bovina brasileira já que os preços dos suínos voltaram a reagir no País. Acreditamos que a China está fazendo alguns testes para entender a real demanda dela por proteína animal. Após o bloqueio das exportações brasileiras, os preços dos suínos começaram a registrar ganhos e estão com margem positiva, o que pode favorecer a entrada da carne bovina.

Como limitador, deve ser citada a incapacidade do consumidor médio em absorver novos reajustes da carne bovina no varejo. Outro aspecto que precisa ser mencionado é que o aceite da carne bovina certificada até o dia 3 de setembro pela China elimina a possibilidade desse estoque ser ofertado no mercado doméstico. São mais de 100 mil toneladas de carne bovina”, diz Iglesias da Safras&Mercado.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • Em São Paulo, capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 318 na modalidade a prazo, estável.
  • Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 310.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 310, inalterada.
  • Em Cuiabá (MT), a arroba ficou indicada em R$ 301, ante R$ 295.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 320, por arroba, estável.

Atacado

O mercado atacadista segue apresentando alta em seus preços no decorrer da semana. A indústria frigorífica segue em sua preparação para as festividades de fim de ano. Esse período tradicionalmente é pautado por movimentos interessantes de alta da carne bovina no atacado.

“O grande limitador de momento é a menor capacidade por parte do consumidor médio em absorver novos reajustes da carne bovina no varejo”, afirma Iglesias.

O quarto traseiro foi precificado a R$ 23 por quilo, alta de R$ 0,25. A ponta de agulha foi precificada a R$ 15,50, alta de R$ 0,50. O quarto dianteiro foi precificado a R$ 16 por quilo, alta de R$ 0,10.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com