Arroba sobe de foguete e tem alta de 18,55%, firme a R$ 320

PARTILHAR
Foto: Gilson Paulo Costa

Os preços da arroba estão subindo, trazendo maior alívio aos pecuaristas que estão pressionando para atingir os R$ 330,00/@; Lacuna na oferta é grande!

O mercado físico de boi gordo voltou a ter preços acentuadamente mais altos nesta quarta-feira, 17, com grande pressão dos pecuaristas diante da baixa oferta de animais para abate. Neste cenário, as indústrias estão sendo obrigadas a ofertar mais para tentar preencher as suas escalas, que tem apontado para cerca de 2 a 3 dias úteis. Sendo assim, o preço da arroba sobe de foguete e já tem teto de R$ 320,00/@.

Como era de se esperar, os pecuaristas foram obrigados a reduzir a intenção de confinamento, deixando os animais no pasto e ou retirando animais do cocho que eram recém confinados. Sendo assim, os preços irão continuar pautados e sustentados pelo cenário de baixa oferta de animais prontos para abate.

A oferta de boiadas para abate continua limitada, mesmo com os ajustes dos últimos dias. Porém, mesmo que em ritmo cadenciado, as indústrias frigorificas conseguiram originar matéria prima para os próximos quatro dias úteis, e com isso as cotações estão estáveis na comparação diária. 

As referências para o boi, vaca e novilha gordos estão em R$300,00/@, R$275,00/@ e R$287,00/@, respectivamente, preços brutos e a prazo, apontou a Scot Consultoria em sua comparação diária.

O Indicador do Cepea, abriu a semana com uma nova disparada de preços com uma valorização de 0,54%, fazendo com que o preço ficasse cotado a R$ 304,80/@, acumulando uma valorização de quase 18,55% no mês de novembro. Ainda dentro desse cenário, o boi brasileiro para a ser negociado na média de US$ 55,16/@.

Segundo o app da Agrobrazil, os preços na praça paulista estão variando de 295,00/@ a R$ 320,00/@. Entretanto, como dito anteriormente, as indústrias em Goiás, estão com escalas extremamente curtas. A melhor negociação do dia ficou para Araçatuba/SP, com preço pago de R$ 320,00/@ para as novilhas, com pagamento em 30 dias e com negociação e abate no dia 23 de novembro. Muitas são as negociações neste patamar, deixando o preço como referência para o estado!

Em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 309,66/@, na quarta-feira (17/11), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 289,24/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 297,45@. E em Mato Grosso, a média fechou cotada a R$ 288,88/@.

“O volume de animais terminados, prontos para abate, é insuficiente, muito restrito. Assim, o mercado seguirá convivendo com um quadro anêmico de oferta, considerando a entrada tardia de animais de pasto no mercado brasileiro, o que deve ocorrer apenas no final do primeiro trimestre de 2021”, disse Iglesias da Safras & Mercado.

A referência de dos negócios concretizados oscilaram entre R$ 310,00 e R$ 315,00/@, recuperando de vez o patamar pré-EEB atípica. Na B3, o contrato futuro de boi gordo com vencimento para nov/21 também valorizou e encerrou o dia cotado em R$ 312,35/@, valorizando 2,03 % no comparativo diário.

Exportação

Até a segunda semana de novembro, o Brasil exportou 38,2 mil toneladas de carne bovina in natura. A média diária exportada foi de 4,78 mil toneladas, queda de 9,7% na comparação semanal e 42,9% menor comparado ao mesmo período de 2020.

Segundo nota divulgada pelo MAPA, o Brasil abriu mais um mercado e poderá exportar até 200 mil toneladas de carne bovina para a Rússia, após um acordo bilateral entre os países, que deve iniciar ainda em 2022.

Com a volta da China, para quanto vai a arroba?

O boi desceu de tobogã em dois meses, sem China, e subiu de foguete em duas semanas, sem China. Mais um pouco o Brasil vai esquecer que o mercado exportador de carne bovina “vivia” para a China?

Brincadeiras à parte, a verdade é que para o produtor até poderia parecer – enquanto para os frigoríficos já chegam a mais de US$ 1,5 bilhão a menos em exportações -, se não lembrasse que se o maior comprador global do Brasil estivesse de novo às portas, o boi poderia estar nos R$ 350, pelo menos.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 308,00 na modalidade à prazo, contra R$ 301,00 na terça-feira.
  • Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 300,00.
  • Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 304,00, ante R$ 299,00.
  • Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 290,00, ante R$ 280,00.
  • Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 307,00 por  arroba, contra R$ 300,00.

Atacado

Os preços da carne bovina seguem subindo no atacado. Os frigoríficos seguem tentando repassar a alta dos preços do boi gordo no preço da carne.

carcacas frogirificas no frigo
Foto Divulgação.

“É importante mencionar que há uma importante limitação neste movimento, considerando a situação da economia brasileira, com o consumidor médio apresentando dificuldades em absorver novos reajustes de determinados produtos”, disse Iglesias.

Além disso, há grande volume de carne bovina represada nas câmaras frias, ainda aguardando uma posição por parte das autoridades chinesas. “Caso o embargo se prolongue, a tendência é que esse estoque seja disponibilizado no mercado interno”, alertou o analista de Safras & Mercado.

Com isso, o quarto traseiro teve preço de R$ 22,50 por quilo, alta de R$ 1,30. O quarto dianteiro atingiu o patamar de R$ 14,25, alta de R$ 0,10. A ponta de agulha teve preço de R$ 14,15 por quilo, alta de R$ 0,15.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com