Arroba vai disparar, prepare o coração pecuarista; Confira

Arroba vai disparar, prepare o coração pecuarista; Confira

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Com a proximidade do final do mês, pode haver movimentações no mercado, com o aumento das ofertas de compra pelos frigoríficos para suprir a demanda do começo de setembro.

Ao longo desta semana, o mercado físico do boi gordo registrou fortes movimentos altistas entre as principais regiões pecuárias do Brasil. Na praça paulista, o valor máximo do animal terminado ultrapassou a casa dos R$ 230/@, chegando a R$ 233/@, conforme apurou a consultoria IHS Markit. Na sexta-feira da semana passada (14/8), a arroba paulista valia R$ 229 – ou seja, em apenas sete dias houve um acréscimo de R$ 4/@. Prepare o coração que vem mais alta por ai!

Segundo Alcides Torres, da Scot Consultoria, a expectativa é de firmeza no mercado do boi gordo, com o final do mês trazendo um viés altista. “Com a proximidade do final do mês, pode haver movimentações no mercado, com o aumento das ofertas de compra pelos frigoríficos para suprir a demanda do começo de setembro”, confira o vídeo completo no final da matéria.

Fechamento da semana

Agrobrazil

O Indicador do Cepea, subiu de forma significativa e trouxe um novo recorde para o período, fechando a R$ 229,25/@ nesta última sexta-feira. Esse é maior valor observado pelo CEPEA, considerando os últimos meses. No aplicativo da Agrobrazil, foram observadas valorizações em algumas praças, com São Paulo fechando com média de R$ 230,67/@.

Com destino ao mercado interno, pecuaristas de Camapuã/MS, informaram negócios de R$ 227/@ com prazo de 30 dias e abate programado para o dia 26 de agosto. Essa foi mais uma máxima registrada para o estado que, na última semana, viu os preços disparar novamente.

O diferencial de base, segundo a Agrobrazil, está praticamente nulo quando comparamos São Paulo ao estado de Goiás e, principalmente, ao estado de Minas Gerais, onde os pecuaristas tem recebido preços de R$ 232,00/@ no Norte do estado. Esse movimento traz uma grande pressão e devemos observado valores de R$ 240/@ como referência em São Paulo durante a próxima semana.

Agência Safras

Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade à prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 21 de agosto:

  • São Paulo (Capital) – R$ 232,00 a arroba, contra R$ 228,00 a arroba em 13 de agosto (+1,75%).
  • Goiás (Goiânia) – R$ 225,00 a arroba, ante R$ 221,00 a arroba (1,8%).
  • Minas Gerais (Uberaba) – R$ 230,00 a arroba, ante R$ 227,00 a arroba, subindo 1,32%.
  • Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 223,00 a arroba, ante R$ 221,00 a arroba (1,36%).
  • Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 215,00 a arroba, contra R$ 210,00 a arroba (2,4%).

Futuro do boi é de alta?

A trajetória de valorização da arroba tem suporte na dificuldade dos frigoríficos em avançar com as escalas de abate que atendem, principalmente, os compromissos de exportação, relata a IHS Markit.

Em relato a IHS Markit, diz que a continuidade do relaxamento de medidas de isolamento social nos grandes centros urbanos e a redução no índice de contaminação de CoviD-19 em alguns Estados brasileiros devem promover um avanço da demanda a partir do final da próxima semana – quando parte da população é contemplada pelo recebimento dos salários.

Segundo alguns analistas, a possibilidades de que, ainda nesta semana, devido a grande alta nos preços nos demais estados, como supracitado, tragam uma correção nos preços de São Paulo. Essa correção poderá fazer o patamar da arroba mudar de R$ 230 para R$ 240, um salto que é esperado por muitos pecuaristas. E você, vai vender ou esperar? Conta pra gente!

Com a proximidade do final do mês, pode haver movimentações no mercado, com o aumento das ofertas de compra pelos frigoríficos para suprir a demanda do começo de setembro.

Com informações da Agrobrazil, Scot Consultoria, Agência Safras e IHS Markit

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com