As vantagens do silo-bolsa na armazenagem de grãos

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Tecnologia revolucionária vem mudando a forma de armazenagem dos grãos no país; Conheça as vantagens do silo-bolsa na armazenagem de grãos!

Um sistema revolucionário! Assim pode ser definido esse novo método de armazenagem de grãos secos que utiliza a tecnologia de plásticos para solucionar o problema da falta de armazéns em grande parte das regiões produtoras do país. No Brasil, onde a capacidade estática é bem inferior à demanda por armazenagem. Hoje, o déficit na capacidade de armazenagem no país é de 38 milhões de toneladas e, devido às vantagens oferecidas pelo silo bolsa, vários agricultores já utilizam o sistema para sanar essa deficiência.

A tecnologia de embolsamento requer adequado enchimento do silo bolsa, especialmente para expulsar a maior quantidade de ar possível e não deixá-lo frouxo nem tampouco exceder a capacidade de estiramento, medida sobre a régua que se encontra impressa em sua lateral do silo bolsa.

Essa grande produtividade tem gerado a cada ano, um grande problema de armazenagem com a falta de espaço para guardar os grãos. Segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), em Mato Grosso, existe 22,20% da capacidade de armazenagem instalada no País, sendo 2.211 unidades, que juntas suportam 38 milhões de toneladas. Ainda assim, conforme destaca a entidade, apenas 30% dessas estruturas são de produtores rurais.

Uma das opções hoje disponíveis no mercado é a utilização de silos-bolsa, uma estrutura de polietileno com alta tecnologia empregada e que é instalada na própria fazenda.

A estrutura tem como principal função ser uma barreira de oxigênio, formando um ambiente hermeticamente fechado, anaeróbico, impedindo o desenvolvimento de insetos como carunchos e pragas, mantendo a qualidade do produto armazenado. Podem ser utilizados grãos secos, úmidos e ainda pasto e capim.

Ao diminuir a concentração de oxigênio, o risco de deterioração dos grãos é reduzido e, por isso, a oxidação é menor, uma vez que os fungos são neutralizados. Os insetos, principalmente os carunchos e percevejos, são os primeiros a sofrerem com o excesso de dióxido de carbono e a falta de oxigênio. Vários estudos conduzidos entre a DuPont, a Universidade de Viçosa e a CONAB visam desenvolver ainda mais o sistema.

Vantagem

Uma das principais vantagens da utilização de silos-bolsas é apontada por Rose Branco, gestora comercial da Silox, empresa com selo Nortène, que fabrica esse tipo de estrutura. “O produtor pode instalar a solução em qualquer lugar da fazenda. Em Mato Grosso, por exemplo, muitos deles não cultivam em uma só propriedade e podem se deslocar e escolher onde vão querer fazer o armazenamento.”

Já com o tradicional silo metálico, acrescenta Rose, “além do alto investimento, uma vez que tenha escolhido o lugar, se por algum motivo, no decorrer dos anos, ele crescer a produção em outra unidade, fica complicado fazer essa logística de transportar o grão para onde foi instalado a estrutura.”

Com o silo-bolsa a facilidade é grande. A cada dia, mês, ano, se o produtor optar por trocar o lugar de armazenagem, ele coloca em um veículo as caixas com o material da estrutura e leva para outro lugar.

“Com essa ferramenta, ele consegue segmentar os produtos, separar por lote, por data de produção e até por qualidade do grão, até escalonar a produção. Há uma liberdade que ele não tem em relação com outras opções”, afirma a gestora.

Mais benefícios

Outro ponto interessante dessa tecnologia é a questão da relação de custo-benefício. Com o aumento constante dos preços dos insumos, principalmente no mercado internacional, outra vantagem é a possibilidade do produtor poder armazená-los no silo-bolsa.

“O custo é muito inferior quando comparado ao do silo metálico. Além disso, temos a entrega entre 10 e 15 dias na sua fazenda ou no local escolhido, enquanto a maioria dos fabricantes de silo metálico trabalha com o prazo de 200 até 400 dias devido à falta de matéria-prima”, destaca Rose.

Com essa rápida entrega, em qualquer lugar do Brasil, o silo-bolsa Silox vai ao encontro da necessidade de urgência do produtor, principalmente para aquele que tem algum imprevisto.

“Infelizmente ainda vemos casos em que o milho e a soja ficaram no chão ou estocados em caminhões. Isso acontece porque às vezes o produtor tem uma estimativa, mas se ele produz mais que o que tinha planejado, falta espaço”, explica a gestora. Ou seja, com a silo-bolsa o produtor consegue rapidamente ter um plano B, entrando em contato com algum distribuidor na região mais próxima, seja em Mato Grosso ou em outro estado.

Capacidade

Também é importante ressaltar a capacidade de armazenagem, pois o produto da Silox guarda até cinco toneladas a mais que os concorrentes de mercado e ainda não gera custos adicionais com manutenção. O tamanho máximo comercializado é de 100 metros que comporta até aproximadamente 340 toneladas, o equivalente a 5.400 sacas de 60kg.

“Nossa garantia é de 18 a 24 meses. Também enviamos uma fita reparadora caso tenha algum problema externo com o produto. Basta seguir o que está no manual, respeitar o limite de estiramento máximo e escolher um lugar estratégico e limpo”, informa a profissional.

Compre Rural com informações do Pioneer Sementes e Agrolink

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com