Bezerro a R$ 3.100 é caro ou barato? Preço sobe mais?

PARTILHAR
@biggest_bulls_of_the_world

Os preços do bezerro seguem com grande valorização, isso é fato! Mas afinal de contas, está caro ou barato? Preço sobe mais ou atingiu o limite?

Entre janeiro e meados de outubro a arroba do boi gordo subiu 33,5%. A oferta limitada de fêmeas para abate, com a retenção estimulada pelas valorizações das categorias de reposição, segurou as cotações no primeiro semestre. O mesmo foi verificado com a reposição, na categoria do bezerro, segundo a Agrobrazil, a valorização do animal foi de 44,8%, para o período de janeiro à outubro!

A grande questão, ou melhor, o fator de sustentação nessa grande valorização no mercado está relacionado a menor disponibilidade de animais para negociação. Como supracitado, estamos passando por uma fase do ciclo pecuário onde temos uma menor oferta de bezerros, fruto do maior abate de fêmeas em anos anteriores.

Segundo os dados do Cepea, na parcial de outubro do indicador Cepea o bezerro negociado em Mato Grosso do Sul registrou média de quase R$ 2,3 mil, valor 26% superior ao preço de janeiro, em termos reais. “Trata-se da alta mais intensa para esse período desde 2014, quando uma forte seca prejudicou a produção pecuária nacional e resultou na valorização de 23,4% no preço do gado de reposição”, observa o centro de estudos.

Preços pelo Brasil

As negociações estão aquecidas por parte do pecuarista da recria/engorda, entretanto, são poucas as ofertas no mercado e quando essas surgem, os preços são sempre em patamares elevados.

Segundo o app da Agrobrazil, foram informados negócios em Corumbá/MS, com o valor de R$ 3.100,00 por cabeça e com pagamento à vista. Já no Rio de Janeiro/RJ, o valor informado foi de R$ 370/@ com pagamento à vista. Na praça paulista, em Itaí, o valor foi de R$ 2.400,00 por cabeça e com pagamento à vista.

Já o Indicador do Cepea, para a praça de São Paulo, fechou no dia 03 de novembro, valendo R$ 2.360,78 por cabeça.

Fotos: Fazenda ELGE

Qual o futuro dos preços?

Quando avaliamos o mercado de forma macro, ou seja, todos os elos que podem afetar esses preços – disponibilidade de animais, preço dos insumos, abate de fêmeas, preços da arroba, demanda pela carne e ciclo pecuário – verificamos que todos possuem uma influência forte para o viés de alta nos preços do bezerro.

Além disso, as fêmeas se tornaram mais valorizada dos que os machos, já que o setor da cria se tornou atrativo com boas margens de lucro. Entretanto, existe um limite para que o mercado consiga absorver as novas altas. Qual o limite? Bom, o que mais determina tal situação é o planejamento estratégico de cada propriedade.

Uma coisa é certa companheiros, os preços subiram e devem continuar nessa mesma atoada no curto prazo. Mas precisamos ficar de olho no final de ano e as mudanças que podem surgir com um ano novo!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com