Brasileiro faz história na PBR, conheça o Campeão do Rodeio!

Brasileiro faz história na PBR, conheça o Campeão do Rodeio!

PARTILHAR
Foto por Alberto Gonzaga / PBR Brazil

Rubens Barbosa faz 95,75 e vence o quarto round da World Finals; Já o americano Jess Lockwood venceu pela segunda vez o título mundial da PBR!

Rubens Barbosa entrou para a história da PBR (Professional Bull Riders) depois de fazer 95,75 pontos no quarto round da World Finals em Las Vegas a bordo do touro Chiseled. Esta é uma das oito maiores notas registradas na PBR desde 1998 — terceira maior nota em uma final mundial.

Barbosa explica que recebeu a notícia que iria montar no touro e achou que fosse brincadeira. “Claudio Montanha (Jr) me falou que iria no Chiseled assim que cheguei ao vestiário. Achei que fosse brincadeira e disse que iria então ganhar um round, já que esse mesmo touro deu uma nota acima dos noventa para Eduardo Aparecido”, explicou.

Em segundo lugar ficou Leandro Machado. O atual líder do Monster Energy PBR fez 92,75 pontos sobre El Big Bad. “Eu achei que tivesse ganho o round. Sai muito feliz do touro, até o Rubinho montar”, brincou.

O brasileiro Rubens Barbosa sabia que a quarta rodada da PBR World Finals 2019 seria boa para ele. No entanto, nem mesmo ele poderia ter adivinhado quanto. Quando voltou ao vestiário, depois de montar o Medicine Man por 89,5 pontos na terceira rodada, foi abordado por outro competidor brasileiro, Claudio Montanha Jr.

A nota anunciada com Rubens ainda dentro da arena foi 95,75 pontos. É, nada menos, que a quarta maior pontuação de toda a história da PBR World Finals.

“Ei, amanhã você monta o mesmo touro que Eduardo [Aparecido] venceu a primeira rodada. O sorteio já foi divulgado”. Rubens Barbosa, entretanto, ficou sem acreditar no amigo por alguns segundos.

De fato, ele realmente enfrentaria Chiseled, o talentoso touro de quatro anos que ajudou Eduardo a receber 91,25 na abertura do evento. “Bem, então acho que vou ganhar a rodada de amanhã. Eles não vão me dar menos nota do que deram ao Eduardo”, respondeu Rubens.

O que se viu na T-Mobile Arena na quarta noite de disputas, portanto, foi um encontro memorável. Rubens Barbosa, 36 anos, fez uma montaria praticamente impecável. Entretanto, esperava sua pontuação na faixa dos 92 ou 93 pontos.

Contudo, a plateia que lotava as arquibancadas e todos os envolvidos no trabalho da final ficaram de queixo caído! A nota anunciada com Rubens ainda dentro da arena foi 95,75 pontos. É, nada menos, que a quarta maior pontuação de toda a história da PBR World Finals.

Rubens Barbosa x Chiseled. Foto: André Silva

História

Certamente, a mais alta desde que Chris Shivers parou em Dillinger por 96,5 pontos em 2001. Depois dele, Mike White e Renato Nunes marcaram a mesma pontuação em 2008, respectivamente em Troubadour e Chicken on a Chain.

“Não tenho palavras para dizer, porque estou realmente surpreso. Sabia que poderia ganhar e marcar alto, mas isso? Estou surpreso”, disse o campeão. Posteriormente, com a fivela de melhor da noite nas mãos, na sala da coletiva de imprensa, o brasileiro disse aos jornalistas que estava realmente confiante para essa montaria.

A história fica ainda mais interessante se analisarmos a trajetória dele nessa temporada. Conforme as estatísticas da PBR, era um dos menos prováveis a receber uma nota tão alta, já que estava classificado em 28º lugar no ranking mundial antes desse round. O brasileiro lutou contra lesões esse ano.

“Dei 100% de mim, mas muitas coisas não funcionaram bem. Além das lesões, alguns problemas pessoais. Tudo isso mexe com a nossa cabeça”.

Leandro Machado depois do 92,75 pontos fala com Rafael Vilela

Rodada 4

Deixando para trás um ano de insucessos, Rubens Barbosa tem três paradas em quatro touros nessa final mundial e pulou para terceiro lugar na classificação da etapa. Foram 300 pontos e US$ 35.000,00 de bônus. Acima de tudo, agora está em 22° no ranking geral.

No entanto, os brasileiros comemoraram muito também a segunda melhor nota da noite. Leandro Machado, atual líder da temporada brasileira, que ganhou vaga após uma ótima performance nas finais da segunda divisão, marcou nada menos que 92,75 pontos sobre El Big Bad.

Foi apenas sua sétima montaria em solo americano. “Eu achei que tivesse ganho o round. Sai muito feliz do touro, até o Rubinho montar”, brincou sorrindo. Dos 40 finalistas, 14 pararam em seus bois.

Jess Lockwood fez a terceira melhor nota da rodada, 91,75 pontos; com José Vitor Leme em quarto, 89,75 pontos; completaram o Top5 desse round Ezekiel Mitchell, Dylan Smith e Cooper Davis, 89,50 pontos. Do time verde amarelo, também tiveram sucesso: Ramon de Lima, 87,75 pontos e Luciano de Castro, 68 pontos.

Lockwood soma agora 640 pontos e é o líder da etapa, com Eduardo Aparecido em segundo lugar, 480 pontos. Rubens em terceiro, 398 pontos, seguido por Cody Teel, 318; e Cody Jesus, 300. Leme caiu para sexto, 268 pontos. Ao passo que Leandro Machado já é o sétimo melhor da final mundial, 230 pontos.

Mundial

Leme, Lockwood e Chase Outlaw permanecem firmes como os três únicos com chance de título mundial. Os três registraram mais uma parada na final de Las Vegas. Faltando agora apenas duas rodadas, a expectativa aumenta a cada minuto.

Lockwood está em vantagem sobre Leme. Diminuiu um pouco mais a diferença entre eles no ranking mundial, 377,49 pontos. Além de tudo, como o americano é o melhor da etapa no momento, receberá bônus suficientes para ultrapassar o brasileiro na classificação geral. Já Outlaw, matematicamente com chances, tem 1899,16 pontos de distancia para Leme.

“É apenas uma sensação boa entrar no último dia perfeito”, disse Lockwood. Dos três, ele é o único com 100% de aproveitamento na final. Justamente o que está dando ao campeão mundial de 2017 vantagem sobre os demais. Leme caiu na segunda rodada e isso o prejudicou. Sem contar que Lockwood não só está parando como ficando sempre na maior zona de pontuação.

A boa notícia é que Leme está praticamente dentro da rodada final, onde chegam apenas os 15 mais pontuados dos cinco primeiros rounds. O brasileiro demonstra ainda estar confiante. Desmontou de seu touro após os oito segundos apontando para Lockoowd, que estava nos bretes acompanhando a montaria do brasileiro.

“A razão pela qual fiz isso não foi por desrespeito. Mas sim para transformar isso em um momento divertido e dizer ‘Ei, não importa o que você faça, não vai me incomodar’. Não estou preocupado com o que está acontecendo ao meu redor. Estou aqui para fazer o meu trabalho e é isso que vou fazer. Foi isso que meu gesto quis dizer”, explicou Leme.

Batalha

Lockwood, mais tarde, foi até Leme e apertou sua mão para parabenizar pelo resultado da noite. Os dois são fortes adversários um do outro durante todo o campeonato. “Estamos, ambos, fazendo nosso trabalho”, reforçou. A batalha que estão travando só tem deixado a disputa ainda mais ‘apimentada’.

O campeão da etapa leva 1500 pontos de bônus e é por isso que, para Leme poder levantar a taça, precisa que Lockwood tenha pelo menos um insucesso nas duas rodadas que restam. E claro, ele tem que parar em seus dois touros de hoje, 10 de novembro. Leme computa 18 vitórias em rounds esse ano. Prognóstico favorável.

José Vitor Leme tem um motivo a mais para fazer boas performances. Após dois anos, avó, mãe, irmã e sogra estão em Las Vegas para vê-lo montar.

Para a quinta rodada, ele vai montar Chochise. O brasileiro tem três montarias nesse touro e três paradas nessa temporada, por 91,5 pontos ou mais. Lockwood vai em Riding Sun com quem tem um bom histórico: três paradas em três tentativas, incluindo uma nota 92,5 pontos ano passado.

Campeão

O americano Jess Lockwood venceu pela segunda vez o título mundial da PBR (Professional Bull Riders) depois de uma final emocionante. Ele entrou liderando a etapa de Las Vegas e conseguiu fazer o dever de casa e conquistar a pontuação necessária para passar o brasileiro José Vitor Leme, que liderava o campeonato.

Foto por Alberto Gonzaga / PBR Brazil

Na final, Lockwood e Leme caíram dos seus touros, mas, devido à somatória de pontos, quem ficou com o título foi o americano.

“Estou muito feliz por esse título”, disse emocionado ainda dentro da arena, não contendo as lágrimas.

Em premiações, Lockwood faturou US$ 1 milhão de dólares como prêmio por ser o campeão, e também mais US$ 300 mil por ter conquistado o título da etapa, além das premiações em dinheiro nos rounds.

“Foi uma disputa emocionante. Estou tranquilo pelo resultado. Agora é cabeça erguida e pensar na próxima temporada. O esporte é assim mesmo. Temos de estar sempre preparados, com respeito e fé em Deus”, disse José Vitor Leme, que fica pela segunda vez na vice-campeão.

Ranking final

1 – Jess Lockwood – 8495 pontos
2 – José Vitor Leme – 7642 pontos
3 – Chase Outlaw – 5788 pontos
4 – João Ricardo Vieira – 4533 pontos
5 – Cooper Davis – 3866 pontos,

Fonte: PBR

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com