Capivara ataca brutalmente uma mulher e mata seu cão

Capivara ataca brutalmente uma mulher e mata seu cão

PARTILHAR
Foto Facebook / Maria Beatriz Rebello Cozer

Cachorro morre e mulher fica ferida após ataque de capivaras em Santa Catarina; As capivaras atacaram os cães e a dona, na tentativa de socorrer, também foi mordida.

Uma mulher ficou ferida e o cachorro dela morreu após serem atacados por capivaras em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, no último domingo. A tutora Marcella Rebello Cozer passeava com o cão Pitu e o filhote dele quando foram surpreendidos por um grupo de capivaras.

Pitu foi mordido por capivaras. Marcella, tentou defendê-lo e acabou também ferida. O cãozinho foi encaminhado a um hospital veterinário, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na terça-feira, 21, após uma parada cardiorrespiratória. A tutora levou 23 pontos.

A dona dos animais levou 20 pontos na coxa e 03 na canela por causa das mordidas. Marcella ainda sofreu arranhões e precisou tomar vacina antirrábica.

O incidente ocorreu à margem do Rio Marambaia, quando os animais cercaram e atacaram Pitu. Na tentativa de socorrer o cãozinho, Marcella também foi mordida pelas capivaras. O cachorro foi levado para o veterinário, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na terça-feira (21).

Já Marcela está em observação, fazendo o ciclo de vacinas antirrábicas, para prevenir a raiva. Ela levou mais de 23 pontos na perna. A tutora contou que tinha o hábitos de soltar os pets naquela região há 7 anos. Ele relata que percebeu o ataque após ouvir Pitu rosnar.

Marcella relatou, que tinham cinco capivaras no local. Duas a morderam e duas atacaram o cãozinho. Ela conta que colocou a mão na boca de uma das capivaras para tentar fazer com que ela soltasse o cachorro. 

Pitu ficou ferido por mordidas e também levou pontos, mas sofreu uma parada cardiorrespiratória no hospital veterinário e não resistiu.

“Ele ia fazer 12 anos em 31 de janeiro. Estamos vivendo um luto, perdemos alguém da família”, diz Marcella, emocionada.

A Prefeitura de Balneário Camboriú soube do caso na tarde de quarta-feira, 22, e trata o fato como isolado. “A capivara é um animal silvestre, as pessoas precisam ter noção de que elas não podem chegar perto do animal e infelizmente, nesse caso, o cachorrinho estava solto e foi em direção ao animal. Não existe nenhuma política pública, uma vez que são casos isolados”, explica Maria Heloisa Furtado Lenzi, secretária de Meio Ambiente da cidade.

A secretária de Meio Ambiente de Balneário Camboriú, Maria Heloíza Lenzi, afirma que o ataque é um caso isolado. Ela recomenda ainda que, em áreas próximas aos rios, onde é comum a presença de capivaras, os tutores evitem deixar os animais de estimação soltos.

Em nota, o Instituto do Meio Ambiente (IMA) informou que vai discutir a situação das capivaras este ano com outras instituições, inclusive órgãos municipais e iniciativa privada.

A caça desses animais é defendida por diversos grupos e merece atenção, antes que seja tarde. As capivaras são ainda um problema para saúde pública, carregando o carrapato estrela, responsável por transmitir a febre maculosa. Precisão de uma solão já!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com