Com arroba fechando a R$ 205, pecuaristas comemoram

Com arroba fechando a R$ 205, pecuaristas comemoram

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Segundo o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, o quadro de oferta restrita de animais terminados continua ditando o ritmo dos negócios.

A semana foi marcada pela valorização dos preços de balcão em SP e em boa parte das praças pecuárias vizinhas. Com os abates enxutos, a carne no mercado atacadista reagiu e deu fôlego para tentativas de compra em valores maiores. Mesmo assim, o volume de negócios está abaixo do normal no mercado físico. 

Segundo levantamento realizado nesta sexta-feira pela FNP, em São Paulo, as grandes indústrias trabalham com valores no balcão a R$ 200/@. Por sua vez, os frigoríficos de menor porte oferecem R$ 205/@, a prazo, para desconto do Funrural.

O mercado físico do boi gordo voltou a registrar preços mais altos em algumas das principais praças de produção e comercialização do país. Segundo o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, o quadro de oferta restrita de animais terminados continua ditando o ritmo dos negócios. 

“Ao mesmo tempo, o consumo de carne bovina apresenta números expressivos neste começo de mês, acelerando a reposição entre atacado e varejo, enquanto que o pecuarista aproveita as boas condições dos pastos para manter os animais por mais tempo no campo”, assinalou Iglesias.

Cotações segundo Safras & Mercado

  • Em São Paulo, os preços do mercado à vista subiram de R$ 201 para R$ 202 por arroba do boi gordo.
  • Em Uberaba (MG), preços em R$ 190 por arroba.
  • Em Dourados (MS), as cotações subiram de R$ 186 para R$ 189 por arroba.
  • Em Goiânia (GO), o preço indicado permaneceu em R$ 187 por arroba.
  • Já em Cuiabá (MT) o preço ficou em R$ 175-R$ 176 a arroba, contra R$ 175 por arroba ontem.

As cotações estão com viés de alta e chegam a ser negociadas para São Paulo, com uma média de R$ 202/@, segundo o último levantamento do AgroBrazil, parceiro do Compre Rural. Hoje, temos pecuaristas negociando o Boi China no valor de R$ 205/@ para pagamento a vista e data de abate para dia 12 de fevereiro. Já em Britânia/GO o valor ficou em R$ 190/@ para pagamento com 30 dias e com abate também para o dia 12 de fevereiro.

Segundo a Scot Consutoria

Após as altas registradas nos últimos dias, o mercado acalmou no fechamento da última quinta-feira (6/2). O preço do boi gordo permaneceu estável em São Paulo. 

Com a reação nos preços, houve um leve aumento nos negócios e as escalas se alongaram, mas não muito. As programações dos frigoríficos paulistas atendem, em média, de três a quatro dias, no máximo, mas destacando que algumas indústrias têm trabalhado com certa ociosidade na linha de abate. 

As chuvas em bons volumes mantêm a boa capacidade de suporte das pastagens, assim os pecuaristas conseguem reter o gado no pasto, com custo baixo, aguardando pagamentos maiores e dificultando a vida dos compradores de gado. 

Diante desse cenário, praticamente somente aqueles produtores que precisam liquidar algum compromisso financeiro vendem a boiadas para fazer caixa. 

Atacado 

Já os preços da carne bovina ficaram estáveis no mercado atacadista. “O ambiente de negócios ainda sugere por reajustes no curto prazo, dada a boa reposição entre atacado e varejo no decorrer da primeira quinzena do mês”, analisou Iglesias. 

O corte traseiro seguiu em R$ 13,90 o quilo. A ponta de agulha permaneceu em R$ 10,30 por quilo. Já o corte dianteiro continuou com preço de R$ 10,80 por quilo. 

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com