Rendimento de carcaça acima de 65%, conheça a raça Piamontesa

Rendimento de carcaça acima de 65%, conheça a raça Piamontesa

Foto: razapiemontese.com.ar

Alguns estudiosos afirmam que a origem da raça Piemontesa foi do cruzamento natural entre o zebu paquistanês e o gado Aurocks da região do Piemonte, no Norte da Itália. A migração do zebu teria acontecido por volta de 25.000 a 30.000 a.C.

Entre 1965 e 1985, o Piemontês passou de 24% do rebanho total italiano para 53%, enquanto as demais raças decaíram de 1,56 para 0,55 milhões (Romagnola, Chianina, Mar-chigiana, Maremmana e Podólica). Hoje existem 350.000 cabeças da raça Piemontesa, mais que todas as demais raças italianas juntas. A coloração da pelagem de palha mudou para cinza nos machos adultos.

Os machos pesam em média entre 750 e 900 kg e as fêmeas entre 450 e 600 kg. Na Itália ou em outros países, é uma raça de fácil engorda.

Em geral, o Piemontês garante um rendimento de carcaça acima de 65%, podendo chegar a 72%. O rendimento de músculos chega a 84%, significando 432 kg de carcaça aos 16 meses de idade.

A raça Piemontesa apresenta uma produção leiteira média de 2.300 litros em 305 dias, com recordes de 5.000 litros. São famosos os queijos produzidos com o leite da raça, tais como Bra e Castelmagno, seguidos por Murozzano e Raschera A raça Piemontesa foi introduzida no Brasil em 1974, em Araçatuba, São Paulo. Nesse mesmo ano, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores da Raça Piemontesa.

Os produtos machos ½ sangue Piemontês + ½ sangue de Nelore pesam em média 388 kg no desmame, em regime de pasto. A raça Piemontesa está presente em todas as regiões brasileiras, em rebanhos puros ou em cruzamentos industriais

Bezerro resultado da cruza Piamontês x Nelore
Bezerro resultado da cruza Piamontês x Nelore

A raça Piemontesa foi introduzida no Brasil em 1974, em Araçatuba, São Paulo. Nesse mesmo ano, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores da Raça Piemontesa. O rendimento de músculos chega a 84%, significando 432 kg de carcaça aos 16 meses de idade. A análise química da carne mostra que a média de colesterol no Piemontês é de 44,0 mg para cada bife de 100 gramas, enquanto que a média dos bovinos em geral é de 63,9% ( suínos = 79,0 mg; frangos = 74,0 mg; vitelo = 84,0 mg). Um bife de 100 gramas apresenta 2,9 gramas de gordura, contra 0,87 gramas na raça Piemontês.

Características

O gado Piemontês atual é o melhor exemplo da característica de dupla musculatura, com ossos e pele fina. Como resultado o Piemontês tem o melhor rendimento de carcaça e melhor porcentagem de cortes de todas as raças. O Piemontês é uma raça moderna. Sua produção de carne é diferenciada porque agrada os consumidores e atende as exigências dos produtores. Há tendências que no futuro dominarão as raças (como Piemontês) que apresentem bom rendimento a qualquer idade, precocidade, alta conversão alimentar e produzem carne com baixo teor de gordura. A habilidade materna e uma boa produção de leite são também características dominantes nas fêmeas mestiças.

piamontesa vaca e bezerro
Vaca Piamontesa c/ bezerro
piamontesa bezerro
Bezerro puro da raça
Touro Piamontês com vacas Hereford
Touro Piamontês com vacas Hereford

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.

2 COMENTÁRIOS

  1. Bom Dia
    Linda a reportagem ainda mais que a 2 dias atras eu conversei com voces a respeito dessa raça e do Bonsmara.
    Bom se for pedir muito gostaria de saber se podem me informar como faço para adquirir um Touro da raça Piamontesa???