Conheça o império rural de Galvão Bueno, vídeos!

PARTILHAR

O grande jornalista e narrador esportivo Galvão Bueno é um pecuarista nato, apaixonado pelos vinhos e um grande criador da raça Crioula, confira!

Carlos Eduardo dos Santos Galvão Bueno, mais conhecido como Galvão Bueno (Rio de Janeiro, 21 de julho de 1950), é um empresário, narrador, radialista e apresentador esportivo brasileiro. É considerado o narrador esportivo mais famoso do Brasil. Mas ele também faz fama como pecuarista. Ele possui um verdadeiro império rural no sul do país, confira nos vídeos!

Atualmente, Galvão é muito conhecido por narrar para brasileiros momentos relevantes do esporte nacional, como o tetracampeonato e o pentacampeonato mundial da Seleção Brasileira de Futebol, os títulos mundiais de Fórmula 1 e o acidente fatal do piloto brasileiro Ayrton Senna em 1994, além de vários Jogos Olímpicos da era moderna.

O narrador compartilha que a compra das terras sempre foi a realização de um sonho e conta que respeita muito as tradições gaúchas. A fazenda Bellavista, de propriedade do jornalista, está localizada na cidade de Candiota, no Rio Grande do Sul.

É nesta fazenda, de 108 hectares, que o jornalista comanda uma vinícola, a Bueno Wines — ele vive fazendo “propaganda” de seus vinhos em suas redes sociais. O local possui um grande luxo, como de costume, onde ele aproveita os momentos com a esposa, parentes e amigos.

Vinícola Bellavista

É na Campanha Gaúcha, em Candiota, no Rio Grande do Sul, que se encontra a concretização de quase 20 anos da paixão que o Galvão Bueno cultiva pelos vinhos.

Dessa paixão nasce um sonho e, em 2009, torna-se realidade com a Bellavista Estate, propriedade situada no ponto de encontro do perfeito terroir do Novo Mundo, uma região estratégica apelidada por Galvão Bueno como a Califórnia Brasileira”. Já são 17 vinícolas nesse novo terroir, em uma faixa de 200km que corre paralela à fronteira com o Uruguai. É nessa extensão que a Campanha Gaúcha se enquadra como uma das melhores produtoras de vinhos do Hemisfério Sul.

Criador e apaixonado pelo Cavalo Crioulo

Galvão passou a criar Cavalos em 2006, em parceira com seu grande amigo, Ivan Magalhães (falecido em janeiro de 2019). Desde 2017, ele já cria animais sob o afixo da sua própria cabanha, Bueno do Seixal.

Galvão Bueno estreou nos remates de cavalos crioulos em 2012. Narrador colocou em pista animais do criatório que mantém no Rio Grande do Sul, ele cria animais da raça desde 2006. Após colocar pela primeira vez a sua criação para ser avaliada pelo mercado, Galvão conta que também terá início uma segunda fase no criatório. A intenção é começar a preparar cavalos para o circuito do Freio de Ouro, a mais importante competição da raça.

“Eu sou um grande admirador da cultura gaúcha, dos costumes e da história do Estado. Para mim, o Cavalo Crioulo é uma paixão!”, resumiu o narrador já avisando que os presentes vão direto para a sede da Cabanha, na região da campanha do estado.

Paixão pelo gado Angus

– Tenho paixão desde a infância pelo cavalo, que só aumentou quando subi no lombo de um crioulo pela primeira vez – confessa Galvão, antes adepto do quarto de milha e antigo praticante de hipismo, esporte que lhe rendeu um tombo e a herança de 18 parafusos e três placas que carrega no corpo.

Acostumado a leilões de gado angus, que também cria na região da campanha gaúcha, Galvão admite certa ansiedade. Não pelo resultado comercial do remate, se apressa a explicar, e sim pelas impressões que os colegas crioulistas terão do seu trabalho de seleção.

– Sempre fica um friozinho na barriga para saber como os animais serão recebidos. Me preocupa saber qual será a reação das pessoas que dedicam a vida a isso – diz o narrador, que cita ascendência chilena dos animais que levará à pista, a maior parte netos de Santa Elba Comediante, um dos expoentes da raça, e também com sangue Hornero, considerado por muitos o mais importante garanhão da história do crioulo.

Sonho em ganhar o Freio de Ouro

Após colocar pela primeira vez a sua criação para ser avaliada pelo mercado, Galvão conta que também terá início uma segunda fase no criatório. A intenção é começar a preparar cavalos para o circuito do Freio de Ouro, a mais importante competição da raça.

– É um sonho ganhar o Freio – revela Galvão, sem dar prazos para os animais estrearem nas credenciadoras.

Com a rotina atribulada, Galvão lamenta visitar com uma frequência menor do que gostaria tanto a estância quanto os vinhedos que implantou em Candiota, também no Rio Grande do Sul. Esteve na fazenda há duas semanas e tentará voltar até o fim do ano, onde até se atreve a camperear.

– Me dá prazer ver o campo e o gado – conta o narrador.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com