Empresa da JBS admite culpa em cartel e paga multa milionária

PARTILHAR
JBS
(JBS/Divulgação)

A processadora de carne controlada pela JBS, declarou-se culpada e foi condenada a pagar uma multa criminal por combinar preços e fraudar licitações.

A processadora americana de carne de frango Pilgrim’s Pride, controlada pela JBS, declarou-se culpada e foi condenada a pagar uma multa criminal de US$ 107,9 milhões em conexão com uma conspiração para combinar preços e fraudar licitações para produtos de frango, informou ontem o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

O Departamento de Justiça disse que, segundo o acordo de admissão de culpa, de 2012 até 2017, pelo menos, a Pilgrim’s participou de uma conspiração para restringir ou eliminar a concorrência nas vendas de produtos de frango nos EUA. De acordo com o departamento, essa conspiração está associada a pelo menos US$ 361 milhões em vendas de produtos de frango da companhia.

Segundo a Pilgrim’s, fica aprovado formalmente o acordo fechado em outubro do ano passado entre a companhia e a Divisão Antitruste do Departamento de Justiça dos EUA.

“O acordo de admissão de culpa envolve restrição da concorrência que afetou três contratos de venda de produtos de frango pela Pilgrim’s a um cliente nos Estados Unidos”, disse a companhia em comunicado. O acordo prevê que a divisão antitruste não fará mais acusações contra a Pilgrim’s envolvendo esse assunto, desde que a empresa cumpra os termos e disposições do acordo, disse a companhia.

Desde junho do ano passado, dez executivos do setor de frango nos EUA foram indiciados pelo Departamento de Justiça, como parte de uma investigação em andamento. Os indiciamentos alegam que ex e atuais executivos de várias empresas do setor fixaram preços entre 2012 e o começo de 2019.

A indústria de frango dos EUA vem sendo acusada de conluio desde 2016, quando restaurantes e outros compradores processaram grandes companhias do setor, como Claxton Poultry Farms, Fieldale Farms, Perdue Farms, Pilgrim’s Pride, Sanderson Farms e Tyson Foods, alegando que elas organizaram um esquema para coordenar a produção e manter os preços artificialmente altos.

Grandes redes de varejo, como Walmart, Kroger, Target e Albertsons, também processaram as companhias por formação de cartel.

Em janeiro deste ano, a Tyson Foods, principal fornecedora de frango do país, informou que pagaria um total de US$ 221,5 milhões para encerrar todas as ações civis que alegam suposta formação de cartel no setor.

Cerca de uma semana antes, a Pilgrim’s disse que estava disposta a pagar US$ 75 milhões a um grupo de compradores de frango para encerrar alegações de formação de cartel. A Pilgrim’s disse que ações movidas individualmente por grandes redes de varejo e restaurantes não estão incluídas no acordo.

Com informações do Valor.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com