Evento marca a abertura da colheita do tabaco em São Lourenço do Sul

PARTILHAR
tabaco - fumo de corda
Foto: Divulgação

Cerca de 230 pessoas prestigiaram o evento. O momento também marcou a assinatura do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a Colheita do Tabaco.

Os produtores de tabaco Romiro Bierhals e Tiago Rutz Krolow, de São Lourenço do Sul, sediaram nesta terça-feira, 06 de dezembro, a Abertura da Colheita do Tabaco, evento promovido pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul – por intermédio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, em conjunto com a prefeitura de São Lourenço do Sul, o Sindicato Interestadual da Indústria Tabaco (SindiTabaco) e a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). 

Entre as autoridades presentes no evento, o secretário de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Antônio Velho Lopes; o prefeito de São Lourenço do Sul, Rudinei Härter; o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke; e o presidente da Afubra, Benício Werner. Também prestigiaram o evento deputados federais e estaduais de regiões produtoras de tabaco, bem como prefeitos de municípios produtores, e representantes de entidades e empresas ligadas à cadeia produtiva do tabaco. 

Presente em 488 municípios da Região Sul do Brasil, o setor do tabaco conta com 128 mil famílias dedicadas à produção. Na safra 2021/2022, foram produzidas 560 mil toneladas de tabaco, sendo que, deste total, 247 mil toneladas foram produzidas por 68 mil famílias gaúchas. 

“Eventos como esse marcam a defesa da cadeia produtiva e do nosso Sistema Integrado de Produção de Tabaco, fundamental para que possamos continuar sendo, por muitas décadas, o segundo maior produtor e o maior exportador de tabaco do mundo. Em 2022 já exportamos mais de US$ 2 bilhões, resultado que coloca o Brasil como maior exportador de tabaco há 30 anos consecutivos”, disse o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, durante a abertura da colheita. 

O presidente da Afubra, Benício Werner, chamou atenção para a representatividade do setor do tabaco, em especial para o produtor, mas também para os municípios envolvidos, o Estado e o País. Segundo ele, há uma expectativa muito positiva para esta safra. “Desejo uma ótima safra para todos e que tenhamos mais um ano com boa lucratividade”, ressaltou Werner. 

O secretário do Estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Antonio Velho Lopes, também falou aos presentes. “A cadeia produtiva do leite tem 40 mil produtores integrados, o tabaco tem mais que o dobro. E esses números precisam ser divulgados e valorizados. Vamos defender nossas 35 cadeias produtivas com unhas e dentes, seguindo uma produção sustentável, com boas práticas e deixando um bom legado para os nossos filhos e netos”, avaliou. 

O prefeito de São Lourenço do Sul, Rudinei Harter, agradeceu a oportunidade de realizar o evento no município e falou sobre a relevância do tabaco. “São Lourenço do Sul é muito diversificado, mas precisamos destacar a importância econômica e social do tabaco em nosso município. Aqui temos quase 4 mil famílias envolvidas com a produção e o setor também se destaca por suas ações sociais, como é o caso do Instituto Crescer Legal, iniciativa do setor que oportuniza aos nossos jovens rurais qualificação. Podemos declarar oficialmente aberta a colheita do tabaco aqui em São Lourenço do Sul e nas demais regiões produtoras”, declarou. 

Diversificação

Durante o evento também foi realizada a assinatura de renovação do convênio do Programa Milho, Feijão e Pastagens após a colheita do Tabaco que tem como objetivo incentivar a diversificação e a otimização dos recursos das propriedades rurais. Promovido pelo SindiTabaco e suas empresas associadas, o programa é realizado desde 1985, nos três Estados da Região Sul do Brasil. Na última safra, o programa rendeu R$ 779 milhões aos produtores de tabaco participantes, sendo R$ 344 milhões somente no RS. Assinaram o Termo de Cooperação Técnica o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Domingos Antônio Velho Lopes, o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag), Carlos Joel da Silva, o diretor da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), Ricardo Serpa, e o presidente da Afubra, Benício Werner. 

Fonte: Sinditabaco

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). 🚜🌱 Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com