Fazendeiro morre durante incêndio em fazenda

Fazendeiro morre durante incêndio em fazenda

PARTILHAR

O corpo Edmilson Moura Pacheco estava caído ao lado de um trator; Fazendeiro morre após inalar fumaça durante incêndio na área rural em Aripuanã.

No inicio da noite de sábado (3), a Polícia Judiciária Civil recebeu informações do filho da vítima, relatando que seu pai Edmilson Moura Pacheco estava morto caído ao lado de um trator. Os investigadores deslocaram até a Fazenda Nossa Senhora Aparecida distante 27 km da sede do município e constataram a veracidade os fatos.

Conforme os policiais, não foi possível apurar indícios de agressões no corpo da vítima e após exames do perito médico foi constatado intoxicação por Monóxido de Carbono e familiares informaram ainda que o senhor Pacheco apresentava problemas de saúde entre eles problemas respiratórios.

Consta também que o senhor Edmilson Moura Pacheco, de 62 anos, estaria sozinho na sua propriedade na hora do acidente e segundos eles tentando controlar um incêndio na pastagem. Pacheco teve parte do seu corpo e membros superiores queimado, sendo encontrado por volta das 19 horas.

Edmilson Moura Pacheco era morador de Aripuanã desde o inicio da década de 90, foi casado com Neusa Maria Maxir Pacheco, com quem teve três Filhos: Eliethe M. Pacheco Hobold, Elisangela M. Pacheco Ceolin e Ednilson Maxir Pacheco. Além de um Neto Davi Luiz França Pacheco.

De acordo com a família, o corpo do fazendeiro Edmilson Moura Pacheco foi velado na Capela da Saudade e teve seu sepultamento próximo das 11 horas, no Cemitério Municipal de Aripuanã.

Prevenindo as queimas e facilitando o seu controle

A forma mais simples que o produtor tem para se prevenir é buscar a eliminação, ou então a redução destas fontes de propagação do fogo. E, para isso, existem algumas técnicas que são preconizadas, como a construção e manutenção de aceiros, a redução também de materiais combustíveis e as cortinas de segurança.

Cada uma dessas técnicas pode ser utilizada para que você evite que esse fogo invada sua propriedade.

  • Aceiro: “A maioria dos produtores já sabe, é aquela faixa livre de vegetação onde a gente tem o solo mineral exposto e, por isso, ele impede que o fogo ultrapasse. Mas com os ventos, ele pode ultrapassar. De toda forma, o aceiro também vai ser utilizado como ponto de apoio para você poder combater esse fogo”, apontou.
  • Redução de material combustível: “É a forma em que a gente pode dizer que é a mais eficiente de se combater esse fogo porque ali você vai estar eliminando ou reduzindo a vegetação seca em volta da propriedade ou perto de propriedades vizinhas, próximos até a reservas de vegetação nativa. Com isso você impede que esse incêndio florestal ou que esse incêndio vindo do vizinho chegue até a sua propriedade”, continuou.
  • Cortinas de segurança: “é a implantação de vegetação com uma folhagem menos inflamável, ou seja, como se fossem cercas vivas feitas ao redor da propriedade. Essa é uma prática eficiente porque reduz a propagação do fogo pelo vento e também pode ser utilizada como uma primeira barreira, o que dificulta o acesso do fogo até a propriedade”, acrescentou o veterinário.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com