Frigorífico paga R$ 20/@ a mais para o Boi China

PARTILHAR
Foto: Thiago Pereira

Embarques aquecidos, e a disputa pela matéria-prima no campo, ajudam a segurar preços domésticos do boi gordo em patamares elevados; Mas até aquando? Veja!

O mercado físico do boi gordo registrou preços predominantemente estáveis nesta terça-feira, 18, em todas as praças pecuárias pelo país. Apesar da indústria com destino ao mercado interno apresentar tentativas de negociações de compra abaixo da referência média no Centro-Norte do país, essas são ignoradas pelos pecuaristas que apostam em uma alta.

Por outro lado, conforme apontam as consultorias, no Sudeste os negócios ainda acontecem com um ágio de até R$ 20/@ para os animais padrão China. De qualquer forma, o pecuarista cadencia o ritmo das negociações em um momento de boa condição das pastagens, outro complicador que precisa ser mencionado é o excesso de chuvas no Centro-Norte do país, que torna a logística complicada.

Conforme dito anteriormente, a Scot Consultoria também informou que as cotações estão estáveis nas praças paulistas. A referência do boi, vaca e novilha gordos são, respectivamente, R$337,00/@, R$308,00/@ e R$326,00/@, preços brutos e a prazo.

Os negócios com o ‘’boi china’’ estão firmes entre R$340,00/@ e R$350,00/@. Segundo o app da Agrobrazil, os pecuaristas de Rubineia/SP, venderam boiada para o mercado exportação pelo valor de R$ 340,00/@ com pagamento a prazo de 30 dias e abate para o dia 248de janeiro de 2022, veja imagem abaixo.

Sendo assim, em São Paulo, o valor médio para o animal terminado apresentou uma média geral a R$ 334,49/@, na terça-feira (19/01), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 334,06/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 316,58@. E em Mato Grosso, a média fechou cotada a R$ 334,63/@.

O preço do Indicador do Boi Gordo/CEPEA, voltou a patinar no fechamento de ontem com uma queda de 0,95%. Sendo assim, os preços da arroba do boi gordo na média paulista saltaram de R$ 37,15/@ para o valor de R$ 333,95/@. Mesmo com as leves oscilações, os preços negociados neste ano, em nenhum momento, ficaram abaixo do patamar de R$ 330,00/@ nas praças paulistas. Confira o gráfico abaixo!

“Os frigoríficos têm sinalizado para uma posição de maior conforto em suas escalas de abate, que no momento atendem entre quatro e seis dias úteis. De qualquer forma, o pecuarista cadencia o ritmo das negociações em um momento de boa condição das pastagens”, coloca Iglesias. Ele diz que outro complicador que precisa ser mencionado é o excesso de chuvas no Centro-Norte do país, que torna a logística complicada.

Diante da demanda doméstica desaquecida, as indústrias frigoríficas brasileiras direcionam as suas atenções às exportações. “A demanda internacional, boa parte dela puxada pela China e os Estados Unidos, ajuda a manter os preços domésticos do boi do gordo nos atuais patamares”, relata a IHS Markit.

Exportação de carne bovina in natura

Na segunda semana de janeiro, os embarques do produto in natura alcançaram 36,53 mil toneladas, aumento de 3% no comparativo semanal, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

No acumulado das duas semanas deste mês, as vendas externas da proteína bovina in natura somaram 72 mil toneladas, o equivalente a um embarque médio diário de 7,2 mil toneladas, volume 34,3% acima da média diária de janeiro/21.

“Caso o ritmo atual dos embarques se mantenha, o País deverá exportar cerca de 140 mil toneladas em janeiro, um novo recorde para o mês”, prevê o economista Yago Travagini, consultor de mercado pela Agrifatto.

Foto e Montagem: Compre Rural

O preço médio da tonelada da carne bovina in natura brasileira subiu para US$ 5,16 mil na segunda semana de janeiro/22, o que representou valorização de 2,15% ante a semana anterior.

Giro do Boi Gordo pelo Brasil

  • Em São Paulo, no interior do estado, os preços ficaram em R$ 342@, contra R$ 343@ de ontem. 
  • Em Minas Gerais, negócios em R$ 332 a arroba, no comparativo com R$ R$ 335 do dia anterior.
  • Em Goiânia, cotação em R$ 320 a arroba, contra R$ 325 a arroba de ontem.
  • No Mato Grosso do Sul, o boi gordo ficou posicionado em R$ 319@ a prazo, no comparativo com anteriores R$ 321@. 
  • Em Mato Grosso, a arroba foi indicada em R$ 314 a arroba, contra R$ 317 de ontem.

Atacado

Segundo Iglesias, o mercado atacadista apresenta alguma alta dos preços no decorrer da semana, movimento concentrado nos cortes do dianteiro bovino. “De qualquer maneira há pouco espaço para movimentos consistentes da carne bovina, considerando a descapitalização do consumidor médio no início do ano, com despesas tradicionais como IPTU, IPVA e compra de material escolar onerando a população. Outro aspecto que precisa ser mencionado é a queda dos preços da carne de frango e da carne suína”, aponta Iglesias.

O quarto traseiro ainda é precificado a R$ 24,90, por quilo. Quarto dianteiro é cotado a R$ 16, por quilo, alta de R$ 0,50. Ponta de agulha permanece precificada a R$ 15,40, por quilo.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com