Fusão dos Ministérios: Agroambientalismo vem aí

Fusão dos Ministérios: Agroambientalismo vem aí

PARTILHAR
gado-em-harmonia-meio-ambiente
Foto: Silver Consultoria Pecuária / Roberto Silveira

Brasil poderá entrar na era do Agroambientalismo segundo especialista com a fusão dos Ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.

Ex-presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e apoiador de Jair Bolsonaro, Xico Graziano elogia a iniciativa de unir os Ministério da Agricultura e Meio Ambiente. Em postagem feita no Facebook, ele afirmou que o Brasil entra na era do que chamou de “agroambientalismo”. “Fusão dos Ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente cria uma desafiadora agenda de trabalho entre ruralistas e ambientalistas. Sai o Produzir x preservar, entra Produzir + Preservar. Somar, não dividir”, disse Graziano, que já foi filiado ao PSDB.

Confira o tuíte de Xico Graziano

O presidente eleito Jair Bolsonaro(PSL) avalia sugestões de nomes para ocupar o Ministério da Agricultura e do Meio Ambiente. Um deles é o deputado Jerônimo Georgen (PP-RS), que foi colega de Bolsonaro na Câmara dos Deputados. Outro é ex-deputado federal e engenheiro agrônomo Xico Graziano, que deixou o PSDB durante a campanha presidencial para declarar voto em Bolsonaro.

Confira entrevista na Jovem Pan

Avanço das ciências agrárias supera dilema entre produzir e preservar

Nos tempos, nem tão remotos, em que se discutia o novo Código Florestal, estabeleceu-se no país uma incrível polarização: de um lado, os ambientalistas; de outro, os ruralistas. Ambos se odiavam, se atacavam, se agrediam. Ânimos acirrados roubavam a racionalidade do processo. Valia o grito.

O Congresso Nacional encontrou, em 2012, uma solução. E hoje, passados 6 anos desde a aprovação da nova lei florestal (Lei 12 651/2012), criou-se uma nova e bem-vinda situação: ambientalistas e ruralistas se aproximam para trabalhar na agenda comum da sustentabilidade no campo. Cansaram de brigar, de acusar. Constroem juntos o agroambientalismo, síntese das posições sobre o futuro do agro.

O setor do agronegócio vem demonstrando, principalmente com sustentabilidade, preservação de reservas ambientais e bem-estar animal, que está compromissado com a preservação dos recursos ambientais, na busca pela produtividade o produtor rural sabe que precisa aumentar a produção na área que ele possui, as leis são respeitadas e a natureza está preservada.

Reserva ambiental, sustentabilidade, produção, conservação do meio ambiente e a irresponsabilidade das notícias falsas que acabam com o agronegócio brasileiro. Somos campeões em preservação, em conservação, em rigidez legal ambiental, mas ainda falta alguma coisa. As áreas de vegetação nativa preservadas por agricultores, pecuaristas, silvicultores e extrativistas somam 25% do território brasileiro e equivalem a R$ 3,1 trilhões em patrimônio imobilizado, mostrou um mapeamento inédito feito pela Embrapa.

Exemplo de preocupação do agricultor com a Natureza

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por alexsander vaz (@vaz_alexsander) em

Para WWF, Pantanal está preservado graças à pecuária

Nasa aponta que Brasil usa 7,6% do seu território com lavouras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.