Grupo é acusado de caça ilegal

Grupo é acusado de caça ilegal

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Grupo no Acre é acusado de caça ilegal animais. Somente um dos caçadores do grupo é acusado de matar 1.000 onças nos últimos 30 anos. Veja!

Um grande absurdo o que tem sido feito por caçadores ilegais, envolvendo animais silvestres e até espécies em extinção. Defendo a necessidade da caça ao Javali no Brasil, esse é uma praga e não possui predador natural, causando assim um prejuízo imenso para o produtor rural.

Entretanto, a caça ilegal é algo que deve ser combatido por todos, já que atitudes como essa são usadas pelos “ambientalistas” para poder tentar vetar até a caça ao javali. Esses que praticam de forma ilegal, acabam sendo bodes expiatórios para que a mídia use isso a favor da proibição da caça no país.

Caça ao javali não pode ser proibida, animal é um problema para o campo!

Veja o que fez um grupo de caçadores ilegais:

Um grupo de nove caçadores foi denunciado por matarem, segundo a acusação do MPF (Ministério Público Federal) no Acre, oito onças-pintadas, treze capivaras, dez porcos-do-mato e dois veados em três meses no ano de 2016.

As denúncias são analisadas na Justiça Federal no Acre, pelo juiz Jair Araújo Facundes, da 3ª Vara Federal de Rio Branco.

Segundo reportagem do UOL, a Procuradoria atribui ao grupo os crimes de caça de animal silvestre e de associação criminosa, além de porte ilegal de arma de fogo. Os acusados poderão ser presos ou multados caso sejam considerados culpados.

Foto Divulgação.

De acordo com as denúncias, há registros de caçadas praticadas pelo grupo desde 1987. O integrante mais antigo do grupo teria matado 1.000 onças nos últimos 30 anos. Segundo a reportagem do UOL, esse homem, um dentista, é acusado de mentir por ter solicitado à PF o porte de arma por necessidade de caçar para subsistência. Porém, o acusado sempre morou em área urbana.

Entre as provas apresentadas pela acusação estão fotos, vídeos e mensagens enviadas pelos acusados por WhatsApp.

Cinco dos nove acusados também respondem pelo crime de porte ilegal de armas. Um deles é um agente penitenciário que tinha autorização para compra de uma espingarda para defesa pessoal, mas usou a arma para caça.

Controle

A PMA utiliza várias ferramentas de controle da população de javalis. Uma delas é o aplicativo “Ambiental SC”. Trata-se de uma plataforma que auxilia os proprietários de terrenos atacados pelo animal e, também, caçadores que auxiliam no combate. Ainda como parte das ações de controle do animal, a PMA elaborou cartilhas de educação ambiental. Além disso, distribuiu armadilhas para capturar os animais, ajudando a controlar as espécies.

Defendemos a caça ao javali, até porque ele é uma praga para o campo. Entretanto, situações como essa acima, deixam em descredito os caçadores autorizados a fazer o controle desses animais. Precisamos combater esse tipo de caça ilegal.

Foto Divulgação.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Zootecnista pela Universidade Federal de Viçosa MBA em Gestão de Projetos pela UNIUBE, idealizador do projeto Tecnologia para o Agronegócio. Possui base técnica e experiência de campo em propriedades de corte e leite. Sócio-Diretor do Compre Rural. (62) 996441746 thiagorp100@gmail.com