Incêndio: Produtor é obrigado a sacrificar 20 animais

Incêndio: Produtor é obrigado a sacrificar 20 animais

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Segundo levantamento, cerca de 480 milhões de animais já morreram e três milhões de hectares foram destruídos desde setembro, quando os incêndios começaram.

A Austrália inicia mais um ano com duras perdas para a agropecuária e economia do país. O ano passado foi marcado por uma grande seca e uma inundação que matou mais de meio milhão de bovinos. Agora, os incêndios tem assolado o país, que sofre com as secas. Áreas urbanas e rurais estão em chamas. Em uma propriedade, o produtor foi obrigado a sacrificar mais de 20 animais que estavam feridas do incêndio, além dos outros que já haviam morrido, o prejuízo é grande.

O fazendeiro Steve Shipton, de Coolagolite, em Nova Gales do Sul, na Australia, foi forçado a sacrificar 20 vacas feridas nos incêndios que estão causando estragos no país. De acordo com o jornal britânico Daily Mail, após os abates, ele precisou ser consolado por fazendeiros vizinhos.

Os incêndios na Austrália, considerados dos piores das últimas décadas, já queimaram mais de três milhões de hectares desde setembro. Segundo estimativas, 480 milhões de animais já morreram queimados, entre eles bovinos, equinos e animais silvestres, muitos deles estão em extinção.

Além disso, cerca de 50 mil casas estão sem eletricidade na costa sul do estado de Vitória, o mais afetado pelos incêndios e onde cerca de 2,5 mil agentes estão combatendo mais de uma centena de focos de fogo. Há expectativa de que condições meteorológicas favoreçam, novamente, a progressão dos incêndios a partir de sábado, 4.

Helicópteros militares e barcos da polícia e da Marinha foram destacados para ajudar na retirada de milhares de pessoas que se refugiaram em uma praia na cidade de Mallacoota, em East Gippsland.

Relembre: Austrália perde mais de meio milhão de bovinos, a seca e as inundações assolam o país!

À medida que a extensão das perdas das terríveis inundações no norte de Queensland vão se somando, a enormidade do impacto sobre a indústria de carne bovina da Austrália está começando a se tornar evidente. Os prejuízos causados, principalmente, nos rebanhos devem levar décadas para se normalizar.

Os produtores ainda estão em estado de choque e lutando para salvar os animais, então as decisões sobre quais serão suas opções e quais os possíveis cenários estão longe de estarem totalmente formadas. Uma coisa é certa, o país é uma potência e continuará sendo um grande exportador de carne bovina.

Seca e chuva, dois intempéries que devastaram o rebanho de um país!

Agora, entretanto, é evidente que a devastação é muito mais abrangente do que o que foi documentado até agora. Animais bem fora das imagens de satélite das inundações morreram devido à exposição e à incapacidade de acessar alimentos e água.

Para se situar melhor, os animais passaram por um dos piores períodos de seca, seguidos de uma chuva devastadora. A união desses fatores, devastou e matou mais de 500 mil bovinos.

enchente na austrália
RACHAEL ANDERSON

Em uma crise humanitária sem precedentes, o número confirmado de mortes pela enchente em Queensland passou de 500 mil bovinos.

Um dos maiores confinadores do mundo, Australian Agricultural Company (AACo), perdeu mais de 43 mil animais, um prejuízo de U$70 milhões. Sabe o que mais impressiona? Eles afirmam que, mesmo com esse prejuízo, não deixaram de cumprir os seus contratos.

A perda genética, as lavouras destruídas e a falta de animais são agora um conjuntos de cartas em cima da mesa que precisam, de alguma forma, serem organizadas e, as tomadas de decisões dos pecuaristas devem ser assertivas.

O prejuízo é gigantesco, um massacre natural que, de forma nenhuma, poderia ser evitado. Mas um coisa ficou muito clara até agora, a Austrália não deixou de ser uma potência em produção e comercialização de carne de qualidade.

Veja as imagens:

gado-nadando-enchente-australia
Foto: Cameron Parker/ ABC News
gado-nadando-enchente-australia
Foto: Ross Myhill

Compre Rural com informações da Agência Brasil e Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com